Legado digital: você já pensou nisso?

Deixar registrado o que deve ser feito com seus dados é bom para técnicos, desenvolvedores e usuários em geral

Morte é um tema sobre o qual a maioria das pessoas não gosta de falar. Os mais prevenidos deixam prontos testamentos, quase sempre estipulando o destino de seus bens materiais. Mas você já pensou no que fazer com seu legado digital? Em tempos de arquivos na nuvem, redes sociais, aplicativos de mensagem, e-mails e criptomoedas, vale a pena ter esse cuidado.

Existem vários bons guias para testamentos digitais e legado digital, incluindo, por exemplo, formas de lidar com as contas do Facebook e do Google. Uma pesquisa rápida na internet traz links úteis para quem quiser se organizar. Um gerenciador de senhas, como LastPass ou 1Password, se torna uma lista detalhada de contas online do usuário e vem com um mecanismo de recuperação interno que pode ser usado para repassá-las aos herdeiros ou a outras pessoas próximas, permitindo que terceiros venham a administrá-las ou apagá-las. Para quem usa autenticação de dois fatores, é bom criar códigos de backup 2FA e adicioná-os ao kit de recuperação de emergência do gerenciador de senhas.

No caso de técnicos ou desenvolvedores, as coisas ficam mais complicadas. Convém escolher um responsável técnico e dar orientações sobre o que fazer em relação a domínios; serviços hospedados em provedores de nuvem, como AWS, GCP ou Digital Ocean; repositórios públicos ou privados no GitHub, com um grande volume de stars, forks, issues ou páginas wiki; uma área de trabalho no Slack.

Carteira de criptomoedas

Quem tem criptomoedas também deve se preocupar com o legado digital. Geralmente, as carteiras digitais vêm com algum tipo de semente de recuperação. Claro que é preciso cautela com a segurança, mas seus herdeiros vão precisar saber onde a semente de recuperação está.

Confira o checklist do legado digital:

  • Pesquise sobre testamentos digitais e faça um;
  • Use um gerenciador de senhas, que funciona como um catálogo de contas online, e garanta que seus herdeiros possam acessar sua chave de recuperação de emergência;
  • Forneça códigos de backup 2FA, se for preciso, bem como sementes de recuperação para suas carteiras de criptomoeda;
  • Indique um responsável técnico, caso necessário;
  • E o principal: garanta que pessoas confiáveis ​​saibam que você fez tudo isso.

Tenha em mente, também, que todos esses cuidados podem ser úteis antes da hora de passar adiante o legado digital, como no caso de perda de dados ou desastre técnico. Independentemente disso, estar preparado é importante. Seus herdeiros agradecerão.

* Imagem de Barbara Santibañez por Pixabay
Fonte: TechCrunch

Foto de Simone Gondim
Foto de Simone Gondim O autor:

Jornalista, revisora e roteirista, apaixonada por tecnologia e especializada em conteúdo.

https://www.instagram.com