Os recursos de privacidade do Bitcoin podem aprender uma coisa ou duas com a Monero

Recursos de privacidade da Monero são modelo para as demais criptomoedas, incluindo o Bitcoin

Para muitos usuários de criptomoedas a privacidade continua sendo uma alta prioridade. Criptomoedas populares como o Bitcoin permitem que os usuários não apenas se beneficiem de uma forma mais segura de ‘dinheiro’ imutável, mas também adicionam o benefício adicional de serem resistentes à censura. No entanto, nos últimos anos, as criptos centradas na privacidade, como Monero e Zcash, ganharam muita força e provavelmente influenciarão ainda mais as inovações tecnológicas, mesmo dentro da maior base de usuários do Bitcoin.

Em uma discussão recente, Andreas Antonopoulos, popular defensor do Bitcoin, destacou como a privacidade continua na vanguarda do movimento de criptomoedas e falou sobre se as inovações tecnológicas agora encontradas em moedas de privacidade como Monero podem surgir e se tornar uma camada de privacidade para o Bitcoin. Antonopoulos observou que, no caso da Monero, seus recursos de privacidade são muito mais complexos em comparação aos do Bitcoin. Segundo ele:

“A Monero é uma blockchain separada e uma criptomoeda que usa uma combinação de tecnologias de privacidade muito fortes para oferecer um grau de anonimato incomparável ao Bitcoin.”

Curiosamente, um relatório recente da Universidade Carnegie Mellon, que analisou os recursos de privacidade de moedas populares de privacidade, observou que nem todos os protocolos e bases de usuários são iguais e gozam do mesmo nível de privacidade e anonimato. No caso da Monero, o pesquisador descobriu que seus protocolos de privacidade são extremamente robustos, mas no caso do Zcash, sua base de usuários parece continuar a não tirar proveito dos recursos oferecidos a eles. O relatório dizia:

“Embora o Zcash criptograficamente seja muito bem fundamentado, os usuários se comportam de uma maneira que não tiram o máximo proveito do pool protegido, tornando-o rastreável.”

Antonopoulos continuou falando sobre como poderia haver um efeito escasso nos protocolos desenvolvidos em Monero que poderiam beneficiar substancialmente o ecossistema do Bitcoin e seus usuários nos próximos anos. Ele ressaltou que:

“A Monero ajuda de várias maneiras. Ajuda no desenvolvimento do protocolo. Ajuda no desenvolvimento de novas tecnologias de privacidade, e também ajuda como parte de um ecossistema de criptomoedas e blockchains que podem ser trocadas de maneira relativamente rápida, fácil e barata. ”

Fonte: AMBCrypto

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.