Rocket Lab retorna ao voo menos de dois meses após a falha no lançamento

O 14º voo da empresa foi um sucesso

O pequeno lançador de satélites Rocket Lab retornou com sucesso ao voo na noite de domingo, menos de dois meses depois que a missão anterior da empresa falhou em alcançar a órbita durante o lançamento. O foguete principal da empresa, o Electron, decolou da instalação de lançamento do Rocket Lab na Nova Zelândia, colocando um pequeno satélite de observação em órbita ao redor da Terra.

O lançamento marcou uma rápida reviravolta para o Rocket Lab após seu lançamento fracassado em 4 de julho. Durante essa missão, o Electron da empresa também decolou da Nova Zelândia, levando sete pequenos satélites para o espaço. Mas, poucos minutos depois do início do voo, uma conexão elétrica defeituosa desencadeou uma reação em cadeia de eventos que fez com que o motor da parte superior do foguete desligasse mais cedo.

Como resultado, o elétron não conseguiu entrar em órbita e voltou para a Terra. O veículo então pegou fogo na atmosfera do planeta, destruindo efetivamente todos os satélites a bordo.

A falha marcou o maior contratempo para o Rocket Lab desde que a empresa iniciou as missões comerciais em 2018. Mas no final de julho, o Rocket Lab disse que havia isolado o problema e que a Administração Federal de Aviação havia dado permissão à empresa para iniciar o lançamento novamente.

A missão de domingo marcou o 14º lançamento bem-sucedido do Rocket Lab. O Electron transportou apenas um pequeno satélite chamado Sequoia para o operador Capella Space, projetado para observar a Terra com radar de abertura sintética. É o primeiro satélite Capella Space disponível para uso do cliente. A empresa planeja lançar uma constelação dessas espaçonaves em órbita. Como um aceno de sua carga útil, o Rocket Lab apelidou este lançamento de “I Can’t Believe It’s Not Optical” (Não posso acreditar que não é ótico).

Fonte: The Verge

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.