Venezuela atinge novo recorde de negociações em Bitcoin em meio a colapso econômico

Quase 9 mil transações foram registradas somente neste ano

Em meio ao cenário de crise presidencial e hiperinflação, o Bitcoin atingiu um novo recorde de volume negociado na Venezuela.

Recentemente o volume de transações semanais ultrapassou 2 mil BTC, aproximadamente US$6,8 milhões em operações P2P, somente na LocalBitcoins durante a semana do dia 2 de fevereiro. Tal quantia representam apenas uma fração do total de transações realizadas pelos venezuelanos.

De acordo com o TrustNodes, muitas negociações ocorrem em exchanges de países vizinhos, como Brasil e Colômbia. Em casos como este, é difícil estimar o valor total dos volumes de transações em Bitcoin realizadas pelos venezuelanos.

A LocalBitcoins também registrou um aumento nos volumes negociados na Colômbia, que somado à Venezuela, é responsável por 85% dos volumes negociados na plataforma na América Latina.

Durante as primeiras cinco semanas de 2019, relatos apontam que a Venezuela registrou 8571 transações, ao passo que a Colômbia registrou apenas 1709.

De acordo com o TrustNodes, o volume de negócios registrados na LocalBitcoins da Venezuela quadriplicou desde o início do segundo semestre de 2018, quando a moeda fiat local, o bolívar, atingiu 1.000.000% em inflação. Segundo o FMI (Fundo Monetário Internacional), neste ano a taxa de inflação da moeda poderia atingir a marca de 10.000.000%.

Apesar de contar com as maiores reservas de petróleo do mundo, a economia do país despencou 47% desde o fim de 2013, situação que foi agravada pelas sanções americanas de 2017. Em janeiro, os EUA anunciaram ainda sanções adicionais contra a estatal petrolífera venezuelana, a PDVSA.

A tensão aumentou devido a uma crise presidencial em curso desde o mês passado, quando a reeleição de Maduro foi invalidada pela Assembleia Nacional. Atualmente o presidente autoproclamado do país é Juan Guaido, apoiado por muitos líderes internacionais.

Recentemente o país adotou oficialmente um marco regulatório para as criptomoedas. O decreto informa os passos a serem seguidos por empresas vinculadas ao setor e também detalha punições para o não-cumprimento de algum requisito.

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli