News

Regulamentação do Bitcoin ganha sinal verde na Austrália

por Juliana Roguim

16/10/2017 - 10:07 am

Lei AML/CTF

As autoridades australianas estão progredindo com as revisões da lei AML/CTF que incluirão o intercâmbio de bitcoins no âmbito da legislação australiana pela primeira vez.

O Parlamento australiano publicou [PDF] provisões recentemente atualizadas hoje, parte de uma reforma mais ampla das leis de financiamento anti-lavangem de dinheiro e financiamento do terrorismo (AML/CTF) do governo.

Leia mais: Ceo Alexander Borodich da Universa e Yellowrockets estão lançando a primeira aceleradora de blockchain descentralizada

Nesse sentido, o Comitê de Legislação dos Assuntos Jurídicos e Constitucionais do Senado priorizou a regulamentação dos operadores de câmbio digital, entre outros objetivos, sob o domínio do Centro Australiano de Análise de Transações e Relatórios (AUSTRAC), a agência de inteligência financeira e o organismo de controle do país.

Sublinhando o movimento regulamentar recomendado como uma “melhor prática” da indústria, o comitê acrescentou:

A AGD observou que o Relatório sobre a Revisão Estatutária recomendava a aplicação da Lei AML/CTF e do Regulamento às moedas digitais e provedores de intercâmbio digital.

Os destaques específicos para as exchanges de moeda digital

A lei permitirá novos poderes conferidos ao executivo-chefe da AUSTRAC, permitindo que o funcionário “crie regras para expandir ou restringir o escopo da definição da moeda digital”.

Serão introduzidas várias penalidades civis para os operadores não registados de serviços de câmbio digital, todos sujeitos a uma responsabilidade estrita.

Um novo serviço designado e registro para regular o intercâmbio de moeda digital será estabelecido no prazo de seis meses a contar da legislação da conta.

A abordagem do comitê para a regulamentação é auxiliada por uma revisão da lei atual, com recomendações do Departamento de Procuradoria Geral (AGD).

Preocupações

Citando algumas preocupações, com o prazo de seis meses para as reformas, o Conselho de Direito, que pediu orientação sobre possíveis isenções para transações de “baixo valor” abaixo de US$ 1.000 nas exchanges de bitcoin.

O Conselho de Direito também chamou a noção de prisão devido a ofensas agravadas, além de delitos de responsabilidade restrita, entre 2-4 anos e mesmo até 7 anos em casos extremos como “draconianos”.

O relatório de hoje apontou as preocupações da starcoo australiana Livingco of Satoshi, uma empresa de pagamentos que permite aos australianos liquidar suas contas com bitcoin. O arranque tem crescido meteórico, processando US$ 5 milhões em contas domésticas com a criptomoeda desde o seu lançamento em abril de 2014.

O início da bitcoin exigiu uma isenção da regulamentação para pagamentos de baixo valor feitos com moedas digitais inferiores a US$ 1.000.

Um trecho das revisões da comissão dizia:

A “Living Room” da Satoshi alegou que a aplicação dos regulamentos AML/CTF sobre pagamentos de baixo valor seria um obstáculo significativo para empresas de varejo que aceitam pagamentos abaixo de US$ 1000 em moeda digital. Alegou que uma isenção para pagamentos de baixo valor deveria ser incluída como parte da lei para limitar o impacto nas pequenas empresas.

Em última análise, o comitê recomendou que a lei fosse aprovada.

Fonte: Cryptocoins News