Uma breve análise da dominância do Bitcoin sobre o mercado cripto

capa 2 bitcoin
Imagem: CryptoPotato

Após mais de um mês subindo, dominância do BTC sobre o mercado cripto apresenta forte queda

Uma das métricas preferidas da comunidade cripto é o “Índice de Dominância do Bitcoin” (também chamado de BTC.D). Ele mostra primordialmente qual a porcentagem da capitalização total do mercado cripto que está alocada em BTC. Esse número varia bastante e é uma forma orgânica do mercado expressar seu sentimento de otimismo ou pessimismo acerca do momento.

Após marcar um fundo mensal de dominância de 42.28% em 10 de maio de 2022, o Bitcoin começou a escalar diante das alts, chegando a atingir 48.56% da fatia total do mercado em 12 de junho de 2022, o que representa mais do que um mês inteiro ganhando espaço. Esse movimento pode ser conferido no gráfico abaixo:

grafico dominancia bitcoin 3 meses
Gráfico do Índice de Dominância do BTC de maio de 2022 até o presente momento. Fonte: TradingView.

O gráfico acima mostra uma visão de maio até o presente momento. Durante a redação desse texto, o BTC.D estava marcando 45.22%, com pequenas variações para ambos os lados.

Olhando com atenção a listagem do CoinMarketCap podemos ter uma ideia de como se deu a recuperação das alts em relação ao BTC. A variação de preço dos últimos 7 dias mostra que, dentre as 20 principais criptomoedas, o Bitcoin teve o terceiro pior desempenho na semana com uma desvalorização de 29.60%, acima apenas de Ethereum (ETH) e Polygon (MATIC). Nas últimas 24h o BTC teve o décimo oitavo melhor desempenho do top 20, com ganhos de 0.35%, o que também ajuda a perceber a fraca reação do Bitcoin no momento de queda atual.

20 principais criptomoedas
Top 20 principais criptomoedas. Fonte: CoinMarketCap.

Dominância do Bitcoin e temporadas de altcoins

De modo geral, uma alta dominância do Bitcoin pode ser relacionada com momentos de forte queda no mercado cripto. Por outro lado, quando o mercado vai bem (geralmente empurrado pelo próprio BTC) a dominância do Bitcoin tende a despencar, com as altcoins ganhando terreno e se valorizando rapidamente.

Vejamos então os dois casos mais recentes que mostram isso: as corridas de alta de 2017 e 2020/2021.

O pico mais recente de BTC.D ocorreu em dezembro de 2020, quando o BTC estava sendo negociado na região de US$ 19.000. Nesse momento o Bitcoin marcava 70.98% de dominância sobre o mercado cripto, a segunda maior porcentagem desde junho de 2017.

dominancia bitcoin 2021
Gráfico do Índice de Dominância do BTC de 2020 até o presente momento. Fonte: TradingView.

Poucos meses depois, em 14 de abril de 2021, o Bitcoin atingiu a impressionante marca de US$ 64.000 pela primeira vez. No fim desse mesmo mês a dominância do BTC sobre o mercado já havia caído para 42.80%.

Para reforçar o argumento podemos voltar mais um pouco no tempo, mais precisamente para fevereiro de 2017, quando o Bitcoin era negociado por aproximadamente US$ 1.000. Embora dentro de outro contexto, o BTC dominava o mercado com agressivos 95.88% de participação. Quando atingiu sua ATH da época (em 17 de dezembro de 2017), na faixa de US$ 19.000, o Bitcoin finalizava o mês com “apenas” 37.64% de dominância sobre o mercado cripto. A fatia de mercado do BTC subiu significativamente em 2018 e 2019 durante o chamado “inverno cripto”.

dominancia bitcoin 2017
Gráfico do Índice de Dominância do BTC nos anos de 2017, 2018 e 2019. Fonte: TradingView.

Isso nos mostra que em momento de alta e bonança, quase sempre impulsionados pelo BTC, os investidores gostam de alocar seus recursos em altcoins. Por outro lado, quando vislumbramos crises ou grandes movimentos de preço para baixo, vemos o movimento inverso ocorrer, com dinheiro saindo das alts e migrando para o BTC.

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.