Coréia do Norte cria esquema utilizando criptomoedas para evitar sanções americanas

O método envolve lavagem de dinheiro e trocas de criptomoedas

De acordo com especialistas, a Coréia do Norte está utilizando cada vez mais as criptomoedas para escapar das sanções impostas pelos Estados Unidos.

A analista financeira Lourdes Miranda e o advogado especialista em lavagem de dinheiro Ross Delton reportaram o caso ao site de notícias Asia Times nesta segunda-feira (24 de setembro).

Leia mais: Pesquise ou use as teclas seta para cima/baixo para selecionar um item. Desenvolvedores da Monero corrigem bug que “queimava” moedas

Aparentemente o país está negociando ativamente criptoativos, ao passo que tenta criar as próprias moedas digitais. A tecnologia serviu como escape às sanções impostas à moeda fiduciária utilizada no país.

Criminosos internacionais em diversos lugares preferem criptografias e a Coréia do Norte não é exceção. Criptomoedas têm a vantagem de oferecer outras formas de contornar as sanções americanas. Podem fazê-lo usando diversas exchanges internacionais, misturando e mudando serviços- espelhando o ciclo de lavagem de dinheiro. “, Miranda e Delton declararam.

Os especialistas alegam que o esquema está sendo usado até mesmo pelas autoridades do país.

Aparentemente, o governo identifica e contrata indivíduos convenientes para abertura de wallets . Em seguida, mineradores locais transferem criptoativos para diversas wallets europeias, onde o ativo é misturado e trocado para confundir o sistema anti lavagem de dinheiro.

Ao final, os candidatos selecionados pelo governo compram quantias em Bitcoin, que serão convertidas em outras criptomoedas, como o Ethereum, para quebrar o padrão de transações.

A partir do esquema, o governo pode trocar os ativos que passaram pela “lavagem” por moedas fiduciárias. Dessa forma, recebem o dólar isento de qualquer sanção.

Até o presente momento, os especialistas não informaram a quantia movimentada ou a fonte da informação.

Leia mais: Governo americano gastou quantia milionária na tentativa de rastrear usuários de criptomoedas

FONTE: COINTELEGRAPH