Governo americano gastou quantia milionária na tentativa de rastrear usuários de criptomoedas

De acordo com registros públicos, a quantia gira em torno de US$5,7 milhões

Segundo relato da empresa de pesquisa Diar, as agências do governo americano pagaram uma quantia milionária para a realização de uma análise na tecnologia blockchain.

Aparentemente o objetivo seria identificar e rastrear usuários utilizando os dados de suas transações.

Embora a tecnologia gire em torno do conceito de anonimato, grande parte dos usuários deixam rastros. Utilizando as ferramentas certas, estes rastros podem determinar a identidade de cada indivíduo.

Leia mais: Google anula proibição de anúncios de exchanges no Japão e Estados Unidos

Ao expor o endereço de sua wallet sob um pseudônimo a um serviço que possa identificá-lo como pertencente à sua verdadeira identidade, o usuário pode ter sua wallet e seus dados expostos. Entretanto, isso só ocorre caso um perito na tecnologia blockchain tiver o tempo necessário para agregar os dados.

Usualmente, essa quebra de privacidade ocorre quando um indivíduo realiza transações em uma exchange que requer verificação de identidade. O caso pode também resultar da postagem online do endereço sob um pseudônimo identificável.

A maior financiadora da pesquisa é a Receita Federal Americana (IRS), responsável por nove contratos com especialistas forenses em criptomoedas. Ao todo, o investimento gira em torno de US$2,2 milhões, quase 40% do valor total gasto pelo governo.

Em segundo lugar está o sistema de Imigração e Fiscalização Aduaneira (ICE) com um gasto aproximado de US$1,5 milhão.

Leia mais:ConsenSys começou a utilizar a rede Ethereum para fornecer eletricidade no Texas

FONTE: CCN