Economista chefe do FMI afirma não proibir criptomoedas

Uma chefe do FMI está recomendando “regular” em vez de “banir” criptoativos, citando as dificuldades práticas desta última

Economista chefe do FMI afirma não proibir criptomoedas

Gita Gopinath – Economista-chefe do Fundo Monetário Internacional – disse recentemente que as economias em desenvolvimento devem se abster de proibir as criptomoedas. Em vez disso, ela chamou a regulamentação global do setor de “a necessidade do momento”.

Gopinath descreveu as dificuldades regulatórias em torno das criptomoedas em um evento do Conselho Nacional de Pesquisa Econômica Aplicada (NCAER) na quarta-feira. Ela disse que a política global de cripto é uma necessidade urgente para enfrentar os desafios que a tecnologia representa para os mercados emergentes.

Além disso, ela disse que bani-los era simplesmente impraticável, dada a presença global que as bolsas possuem.

“Regulamentar criptoativos é essencial, especialmente para economias emergentes e em desenvolvimento, já que bani-los pode não funcionar, já que as criptomoedas estão localizadas no exterior, o que torna mais fácil para um indivíduo negociá-las apesar da proibição”, disse ela.

Em setembro deste ano, a China anunciou a proibição de todas as exchanges de criptoativos do país, após que exchanges como Bitmart e Biki fugiram do país. Enquanto isso, a Índia ainda está deliberando sobre uma proibição equivalente.

Gopinath enfatizou a formulação de uma política “global” em torno da criptografia, já que as transações internacionais tornam as regulamentações de qualquer nação contra ela bastante fracas. Eles podem ser usados ​​para escapar dos “controles de taxa de câmbio, controles de capital e medidas de fluxo de capital”, disse ela.

Michael Saylor – CEO da MicroStrategy, o maior proprietário mundial de Bitcoin – destacou esta propriedade exata como extremamente útil de uma perspectiva de negócios. Ao contrário do mercado imobiliário, o Bitcoin pode ser transferido através das fronteiras, “na velocidade da luz”, para as jurisdições mais amigáveis ​​com os impostos.

Christine Lagarde – Presidente do Banco Central Europeu – também pressionou por uma regulamentação global de criptomoedas, para combater suas capacidades descentralizadas de “lavagem de dinheiro”.

Regulamento sobre proibição

Além da Índia e da China, a maioria das outras jurisdições descartou a proibição de criptomoedas, em vez de adotar uma abordagem regulatória. Na verdade, muitas autoridades americanas veem a proibição da China como uma excelente oportunidade de dar as boas-vindas ao setor, capitalizando sua inovação. Estes incluem Ted Cruz, Hester Peirce e Pat Toomey, entre outros.

Singapura também optou por não banir. O diretor do MAS, Ravi Menon, acredita que criptoativos podem “levar a um resultado muito bom para a economia e a sociedade,” e prefere criar uma estrutura regulatória para operar dentro dela.

Fonte: CryptoPotato

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8