Ex-CEO da BitMEX, Arthur Hayes concorda em se render às autoridades dos EUA

Incluindo Arthur Hayes, executivos fugitivos da exchange de derivativos de criptomoedas BitMEX têm discutido um acordo de rendição com o governo dos EUA

Em outubro passado, o ex-CEO da BitMEX Arthur Hayes e quatro dos executivos e coproprietários da exchange foram acusados ​​pelo Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) e pela Commodity Futures Trading Commission (CFTC) por violar a Lei de Sigilo Bancário e por lavagem de dinheiro.

Atualmente Hayes está residindo em Singapura, mas de acordo com as transcrições judiciais obtidas por fontes familiarizadas com as negociações, o ex-CEO da BitMEX se renderá ao governo dos EUA em 6 de abril, no Havaí. De acordo com Jessica Greenwood, a advogada assistente dos EUA responsável pelo caso, Hayes pretende continuar morando no exterior, mas concordou em comparecer a Nova Iorque para julgamento, se necessário.

Ela disse:

“Discutimos com o advogado como providenciar uma rendição voluntária, e ele propôs aparecer nos Estados Unidos no Havaí e ter sua primeira aparição lá e então […] A ideia seria que ele apareceria inicialmente no Havaí , em seguida, compareça remotamente perante Vossa Excelência. E então ele continuaria a residir no exterior com viagens para os Estados Unidos para as apresentações, conforme necessário. ”

Greenwood também revelou que Ben Delo, coproprietário da BitMEX, irá potencialmente se render em Nova Iorque no final do mês. Quanto aos demais réus, é incerto se irão cooperar com autoridades americanas como Hayes e Delo e se render. Atualmente, conversas sobre como e quando eles aparecerão ainda estão em andamento.

BitMEX cobrada por CFTC e DoJ

Em outubro passado, a CFTC acusou oficiais líderes da BitMEX por operarem ilegalmente nos Estados Unidos. Uma ação civil foi movida contra o  então CEO Arthur Hayes e os cofundadores Samuel Reed e Ben Delo. O CFTC os acusou de não implementar as regulamentações obrigatórias do Know-Your-Client (KYC) e as políticas de combate à lavagem de dinheiro (AML).

De acordo com a reclamação oficial, o CFTC alega que a BitMEX estava oferecendo ilegalmente transações de commodities, opções, futuros e swaps em criptomoedas – permitindo que os usuários da plataforma empregassem alavancagens de até 100x e gerassem lucros exagerados de pequenas flutuações nos preços das criptomoedas.

Após o processo, Arthur Hayes renunciou ao cargo de CEO da empresa.

Fonte: Blockchain News

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.