Fornecimento de ETH deve cair 2% ao ano, segundo analistas

O Ether, que possui volume seis vezes maior que o Bitcoin, pretende adotar maior pressão deflacionária.

A moeda do Ethereum não possui um limite no seu fornecimento. Contudo, de acordo com estudo realizado pelo Ultrasound Money, o supply de ETH deve cair 2% ao ano.

No começo de agosto, a atualização “London” incluiu uma proposta de aumento no tamanho por bloco (EIP-1559), que tem como objetivo reduzir os congestionamentos na rede. A atualização, ao invés de enviar as taxas de transação aos mineradores, optou por destruí-las.

Desta forma, a blockchain do Ethereum está destruindo mais tokens do que produz, gerando forte pressão deflacionária anual.

Produção em queda

Até o presente momento, houve uma redução de 57% sobre a produção de novos tokens Ether, segundo o site Watch the Burn.

A iniciativa é compreensível: o Ethereum 2.0 está previsto para ser lançado no próximo ano e, com a grande atualização, o modelo de mineração Proof-Of-Work (PoW) será extinto. Usuários serão capazes de minerar apenas através de Proof-Of-Stake (PoS).

Atualmente, a beacon chain do Ethereum já trabalha com PoS, mas não é possível realizar saques ou implementar aplicações blockchain nela. As funcionalidades serão liberadas assim que a próxima grande atualização for instalada.

 

Foto de Rafael Motta
Foto de Rafael Motta O autor:

Jornalista, trader e entusiasta de tecnologia desde a mais tenra juventude. Foi editor-chefe da revista internacional 21CRYPTOS e fundador da Escola do Bitcoin, primeira iniciativa educacional 100% ao vivo para o mercado descentralizado. Foi palestrante na BlockCrypto Conference, em 2018.