Mais pessoas estão usando Bitcoin para comprar maconha durante a quarentena

As vendas de maconha e videogame usando o Bitcoin tiveram um aumento considerável durante a quarentena do coronavírus

Usuários de maconha e jogadores se voltaram para o Bitcoin durante a quarentena do coronavírus, com as vendas na web de ambos aumentaram durante a pandemia.

A receita de vendas de videogame e maconha usando Bitcoin registrou um aumento de 50% entre os 100 comerciantes de varejo eletrônico pesquisados ​​pela Blockonomics. A pesquisa afirma que:

“Os pedidos de cannabis aumentaram: as pessoas estão comprando mais maconha do que nunca, com receita acima de 50%. Quero dizer, o que mais você vai fazer em casa? 💨”

Da mesma forma, a quarentena também direcionou as pessoas para os videogames como um meio de distração. Os dados não especificam se as pessoas que compram maconha são as mesmas que compram videogames – mas a experiência sugere que pode haver uma leve sobreposição.

Produtos digitais caem em desuso – mas cannabis e jogos sobrevivem

Dois outros setores de negócios também viram um aumento nas vendas baseadas em Bitcoin – hospedagem na web e suplementos nutricionais. O artigo da Blockonomics afirma que:

“Os suplementos nutricionais também viram um aumento de receita de até 50%, à medida que as pessoas continuam procurando maneiras alternativas de se manter saudáveis ​​(possivelmente em resposta às prateleiras vazias de alimentos no supermercado).”

Embora os serviços de hospedagem na web tenham visto um aumento acentuado na receita, o mesmo não pode ser dito para todos os produtos digitais. De fato, 75% dos entrevistados disseram ter testemunhado uma diminuição na receita baseada em Bitcoin durante a quarentena.

“Nenhum site que oferece produtos digitais registrou um aumento na receita: 25% dos entrevistados não relataram alterações na receita, enquanto os 75% restantes viram reduções.”

Portanto, mesmo que todos estejam em casa, isso não se manifestou de maneira transparente em produtos digitais típicos. Como o artigo especula, isso provavelmente pode ser explicado por pessoas que se concentram mais na compra de bens físicos essenciais, que correm o risco de se perder em uma potencial desaceleração da cadeia de suprimentos.

Quase metade dos lojistas pesquisados ​​revelou que estava segurando qualquer Bitcoin recebido, enquanto mais de 10% disseram que continuavam comprando ainda mais. O artigo declara ainda:

“Nossos proprietários de lojas de comércio eletrônico continuam a ser os principais crentes no Bitcoin: 44,9% dos entrevistados decidiram manter 100% de seus Bitcoins durante esse período, com 10,2% comprando Bitcoin adicionalmente.”

Assim, à medida que os jogadores e usuários de maconha continuam a se separar do BTC, os donos das lojas ficam muito felizes em se apegar a ele. Isso pode ter algo a ver com o aumento de 102% do Bitcoin em valor ao longo do mês e meio passado.

Fonte: CCN

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.