Relatório aponta suposto envolvimento do governo da Coréia do Norte em esquemas de fraude de criptomoedas

Uma das fraudes foi detectada pelo Canadá

De acordo com a Recorded Future, o governo da Coréia do Norte participou de pelo menos dois golpes envolvendo criptomoedas fraudulentas.

A empresa realizou a declaração por meio de um relatório publicado neste quinta-feira (25 de outubro). O relatório foi intitulado “Padrões de deslocamento no uso da Internet revelam elite governante norte-coreana adaptável e inovadora”. Nele, a equipe de pesquisa da Recorded Future menciona dois supostos esquemas envolvendo altcoins vinculados às autoridades norte-coreanas.

O primeiro golpe supostamente ocorreu por meio da Insterestellar, criptomoeda apoiada pelo país. De acordo com a equipe, a moeda teria trocado de marca diversas vezes, passando por nomes como HOLD, Stellar (não deve ser confundido com o XLMtoken) ou HUZU.

Leia mais: Alibaba Cloud anuncia expansão de serviços Blockchain para o mercado internacional

Segundo o relatório, a HOLD foi listada e excluída de várias exchanges de criptomoedas, fraudando os investidores.

A outra moeda foi apelidada de “Marine Chain coin”. Esta foi detectada em “fóruns de Bitcoin” em agosto deste ano. A moeda supostamente permitia a tokenização de embarcações para múltiplos proprietários e usuários, e acabou sendo considerada fraudulenta pelo Canadá.

Diversos usuários reclamaram da perda de milhares de dólares no site da moeda, que era hospedado em 4 endereços de IP diferentes.

Durante pesquisas anteriores, a equipe do Recorded Future descobriu que as autoridades norte-coreanas estavam minerando Bitcoin e Monero em pequena escala.

Leia mais: Agência de Fronteira do Canadá inicia testes com plataforma Blockchain

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli