Starbucks vai aceitar pagamento em Bitcoin

Aplicativo da Bakkt permitirá que consumidores usem criptomoedas na hora de pagar a conta

A partir de 2020, será possível tomar um café na Starbucks e pagar com Bitcoin. A exchange Bakkt anunciou o lançamento de um aplicativo para consumidores usarem criptomoedas como forma de pagamento.

Mike Blandina, diretor de produtos da Bakkt, estima que o app seja lançado no primeiro semestre de 2020.

“Estamos focados no desenvolvimento do aplicativo para consumidores e no portal do comerciante, bem como nos testes com a Starbucks, nossa primeira parceira de lançamento”, diz Blandina.

A Bakkt foi apresentada em agosto de 2018, tendo a bordo os parceiros Starbucks e Microsoft. Seu plano é criar um ecossistema aberto para o mercado crypto, oferecendo a consumidores e instituições um local seguro para armazenar, enviar e receber Bitcoins.

Até agora – pelo menos em sua exchange de contratos futuros -, a Bakkt se concentrou em uma criptomoeda: o Bitcoin. Mas, com o aplicativo para consumidores, parece que haverá expansão para outras moedas.

“Uma das principais características do modelo que projetamos é oferecer suporte a um superconjunto de ativos digitais, incluindo criptomoedas, da mesma maneira que os investidores fazem transações em ações em uma conta de corretagem de varejo”, afirma Blandina.

A Starbucks detém quase 40% do mercado de café dos Estados Unidos e possui quase 30 mil lojas em todo o mundo. O programa-piloto da Bakkt espera explorar esse segmento de mercado, trazendo mais pessoas para o universo das criptomoedas.

Embora os usuários do aplicativo da Bakkt possam gastar seus Bitcoins, eles não farão pagamento direto com criptomoeda nas lojas da Starbucks. Quando a plataforma foi anunciada pela primeira vez, a Starbucks rapidamente esclareceu isso.

“É importante esclarecer que não estamos aceitando ativos digitais na Starbucks. Em vez disso, a exchange converterá ativos digitais como Bitcoin em dólares americanos, que podem ser usados ​​na Starbucks”, diz o pronunciamento da empresa.

Mas, da perspectiva do consumidor, ele oferece uma maneira de gastar seus Bitcoins sem problemas, mesmo que não seja como no sonho dos cypherpunks. E isso é um começo.

* Imagem de ICC mande por Pixabay
Fonte: Decrypt

Foto de Simone Gondim
Foto de Simone Gondim O autor:

Jornalista, revisora e roteirista, apaixonada por tecnologia e especializada em conteúdo.

https://www.instagram.com