News

Como o dinheiro ficou gratuito: Bitcoin e a luta pelo futuro das finanças

por Rodrigo Camilo

31/10/2017 - 2:41 pm

A história definitiva de Brian Patrick Eha, Como o dinheiro ficou gratuito: Bitcoin e a luta pelo futuro das finanças (How Money Got Free: Bitcoin and the Fight for the Future of Finance, Oneworld, 2017), se aprofunda ao responder às perguntas sobre o que é Bitcoin, explicando suas origens e detalhando como tudo isso aconteceu.

Bitcoin é um drama se desenrolando em nossa época

O apresentador Joey Clark do podcast Joey Clark Radio Hour, durante uma entrevista em uma versão arquivada de sua transmissão terrestre em uma estação FM de Montgomery, Alabama, apresentou a prosa de Brian Patrick Eha como cinematográfica. Igual a de um filme.

Minha segunda leitura na íntegra confirma o fato.

A confiável história inicial do Bitcoin costuma citar Digital Gold, o best-seller do ano passado de Nathaniel Popper, agora em papel. Isso é sem dúvidas devido à plataforma do Sr. Popper no New York Times mais do que qualquer outra coisa.

Enquanto o relato do Sr. Popper é divertido e agradável, ele apresenta o Bitcoin e sua comunidade emergente como curiosidades e leitores são frequentemente deixados de fora. Há um lugar para isso — todos conhecem os valores dentro deste ecossistema. Bitcoin é uma ideia excêntrica, mesmo flutuando no valor de 6.000U$D.

O Sr. Eha, por outro lado, não brinca com o estranho. Cataloga o estranho para o certo, e constata as gafes e deslizes, mas move rapidamente sua obra para algo substâncial. Há uma realidade ali – ali em Bitcoin como uma rede e um conceito, ali em Bitcoin como uma moeda.

Quase meia dúzia de nomes conhecidos aos leitores completam as mais de 450 páginas da viciante obra do Sr. Eha (Felizmente com anotações e um índice): Gavin Andersen, Hal Finney, Roger Ver, Charlie Shrem, Erik Vorhees, Ira Miller, Nic Cary, Barry Silbert, Amir Taaki, Ross Ulbricht, e Cody Wilson.

Leia mais em: Banco Russo VEB torna-se uma Blockchain

Quatro pessoas que mudaram o mundo financeiro

Para chegar a um acordo após alguma discussão técnica, o Sr. Eha apresenta quatro participantes do Bitcoin mencionados acima. É um belo número, e ele é capaz de dar a Barry Silbert, Nic Cary, Roger Ver e Charlie Shrem o espaço que cada um merece.

Todos nascidos nos EUA, brancos, do sexo masculino e com menos de 40 anos de idade. Embora não seja realmente um ponto do livro, apenas algo que observei recentemente, o que significa que leitores examinam um mundo aparentemente homogêneo, surpreendentemente variado e diversificado.

As origens do fundamentalismo Cristão, melhores e mais promissores tipos de ambientes para viajantes, para corações mole, e para um Judeu praticante que esforça-se para se livrar do controle dos pais, ajudam leitores não centrados em Bitcoin a perceber que tipos de personalidades são atraídas à estas ideias.

Nós acompanhamos os homens através de suas posições pioneiras no espaço viajarem enquanto o Bitcoin atinge algumas dores de crescimento, e cada uma de suas vidas parece mergulhar e subir como o preço em si, só que, para obviamente, subir novamente.

Força para o mainstream

Silbert continua a ser uma força para o mainstream, o Bitcoin de Wall Street. Sr. Carey se dedica à filantropia. Sr. Ver é tão obstinado e visionário como sempre. Sr. Shrem, bem, sua história pode ser a mais atraente num nível humano.

Sem revelar muito do enredo, Charlie Shrem é nosso canário numa mineiradora do mundo real, um único aviso envolto em um jogo de moralidade. Até à data deste artigo, ele ainda nem tem 30 anos de idade, e por isso muito será adicionado à sua saga. Mas esses anos inebriantes contribuem para uma excelente leitura tanto como uma iniciação ou uma lembrança.

Por fim, não gostaria de patrocinar a Oneworld Publishing? Mostre a casa independente de Londres sua aposta em respeitar nossos pagamentos comunitários. Meu sentimento é de um agente intermediário que valoriza a escrita longa e expositiva, e esta é realmente a única editora por aí que permitiria tantos detalhes como em “Como o dinheiro ficou gratuito” exige.

Se queremos mais, vamos ter que patrocinar tais riscos.

Que livros recentes sobre Bitcoin que você recomendaria? Diga-nos nos comentários abaixo!

Imagens são cortesia de: WallpapersHD, Bitinstant, Oneworld.

Fonte: Bitcoin.com