A dificuldade de mineração de Bitcoin pode diminuir 21% pela primeira vez na história

A próxima queda de dificuldade de rede do Bitcoin é estimada em 21,1%

De acordo com Dylan Leclair da equipe de consultoria monetária 21st Paradigm, a rede do Bitcoin vai perder 21% de sua dificuldade após o próximo ajuste.

https://twitter.com/BTCization/status/1408419101769355265?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1408419101769355265%7Ctwgr%5E%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fu.today%2Fbitcoin-difficulty-might-decline-by-21-percent-for-the-first-time-in-history

Esses ajustes periódicos são codificados com dificuldade no mecanismo do Bitcoin para garantir tempos de geração de blocos estáveis. Como tal, quando os mineradores deixam a rede, a dificuldade cai para compensar as perdas de seu poder computacional.

Ajustes de dificuldade de dígito duplo (negativo e positivo) são relativamente raros. Dito isto, uma queda de 21,1% pode ser a maior da história do Bitcoin.

Além disso, a receita média dos mineradores de Bitcoin mergulhou para US $ 23 milhões por dia. Isso significa uma queda de 64,5% do pico de 2021 de maio.

Êxodo de mineradores

Leclaire acrescenta que muitos mineradores estão vendendo seus bitcoins para cobrir as despesas de mover o equipamento da China. Conforme relatado pela U.today, os ataques regulatórios fizeram mineradores chineses se mudarem para Cazaquistão, Estados Unidos e países africanos.

Este é um dos principais catalisadores por trás do aumento da pressão de venda.

De acordo com o BTC.com Network Explorer, a dificuldade do Bitcoin pode cair para 16,25 T. pela última vez desde maio de 2020.

A dificuldade do Bitcoin (BTC) é ajustada uma vez a cada duas semanas. Os dois ajustes anteriores resultaram em respectivos 16% e 5% de queda.

Fonte: U.Today

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.