África do Sul lidera revolução cripto na África

Países da África são constantemente apontados por especialistas como tendo grande potencial para adoção das criptomoedas

Os africanos estão no topo das taxas globais de propriedade de criptomoedas, de acordo com um novo relatório da Arcane Research. A África do Sul ocupa o terceiro lugar no mundo, com 13% de seus usuários de internet possuindo ou usando criptomoedas, enquanto 11% dos nigerianos conectados possuem criptomoedas no quinto país mais populoso da África Ocidental.

Uganda, Nigéria, África do Sul, Quênia e Gana estão listados no relatório entre os 10 principais países onde a “criptomoeda” é mais pesquisada no Google. Os desafios econômicos funcionam nos dois sentidos, pois o fosso digital diminui a adoção das criptos, enquanto as altas taxas financeiras tornam as moedas virtuais uma alternativa atraente.

A África também possui algumas das economias mais inflacionárias do mundo, onde a indisciplina fiscal e políticas monetárias controversas  desgastam as economias dos cidadãos da noite para o dia. Além da mão pesada dos governos, fatores externos como sanções e conflitos também ameaçam a economia, tornando as criptomoedas um investimento menos exposto.

A África Subsaariana registra remessas de US$ 48 bilhões anualmente, mas as taxas de transação chegam a 9%, enquanto alguns serviços de transferência de pagamentos móveis cobram cerca de 11%. O uso de criptomoedas também é uma maneira de diminuir as desvantagens da centralização e eliminar o alto custo das remessas.

A Arcane Research observa que a falta de infra-estruturas, como operações de mineração cripto, suporte a comerciantes, penetração de smartphones e conectividade à internet, diminui a absorção de criptomoedas. Com populações de maioria rural em alguns países, faixas significativas do continente não são eletrificadas, limitando o alcance do Bitcoin e outros ativos digitais.

De acordo com o relatório, a falta de clareza política – com cerca de 60% dos governos africanos ainda por anunciar suas posições sobre criptomoedas – diminui a adoção.

“A África é uma das regiões, senão a mais promissora, para a adoção de criptomoedas”, disse o relatório.

“Isso se deve à combinação única de tendências econômicas e demográficas. Embora a adoção geral seja relativamente baixa, o potencial é enorme, o crescimento é rápido e o desenvolvimento provavelmente se tornará definidor para o setor de criptomoedas daqui para frente ”, acrescentou.

Fonte: Bitcoin.com

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.