Apesar do crash de 20% para US$ 8.000, temos algumas notícias positivas – Análise BTC

Bitcoin sofreu uma queda pesada no último sábado, frustrando muitas pessoas da comunidade que ainda esperavam avanços antes do halving

Foi um foi um dos piores dias (09) para o preço do Bitcoin (BTC) nos últimos anos. Partindo de ontem, apenas a um passo da marca de US$ 10 mil, o Bitcoin sofreu uma queda intradiária para menos de US$ 8000, antes de uma leve recuperação.

Em algum momento, o candle diário atingiu quase 20% no negativo. Quem conhece o Bitcoin não pode dizer que foi do nada. Entretanto, à medida que nos aproximamos do halving, uma queda tão grande pode desencadear um “panic sell”. Já vimos o que mãos fracas poderiam fazer apenas dois meses atrás em 12 de março, quando o Bitcoin perdeu mais de 50% em apenas um dia.

Nos últimos dias, o Bitcoin tentou ultrapassar a marca de US$ 10.000 quase sem sucesso. E quando não consegue subir mais, perde impulso e cai.

Como já vinha sendo dito anteriormente em diversos locais, o teste real seria o nível de resistência de US$ 9800 a US$ 10.000 (que pode ser visto no seguinte gráfico semanal de vários anos). O Bitcoin procurará fechar o candle desta semana acima do nível de US$ 8400.

btc_may10_w-min

BTC/USD semanalmente desde 2014. Fonte: TradingView

Há boas notícias

Movimentos violentos para um lado (para cima) carregam movimentos violentos para o outro lado (para baixo). Olhando para o gráfico do Bitcoin, ele não havia visto uma correção significativa desde a recuperação em forma de V da queda de 12 de março.

Por isso, esperava-se uma queda, e era provável que fosse cruel.

Como pode ser visto no gráfico diário a seguir, a zona de US$ 8000, a baixa de ontem, inclui as linhas médias móveis de 200 e 100 dias.

Desde que ultrapassou as linhas da média móvel em 29 de abril de 2020, o Bitcoin não desceu para confirmá-las como suporte. Além disso, a baixa de hoje se correlaciona com a linha de tendência ascendente, que começou a se formar durante a queda de 12 de março. Esta linha está marcada em azul no gráfico a seguir.

A questão é o que acontecerá daqui: se o Bitcoin se manterá e não mergulhará abaixo de US$ 8.000, já que as coisas podem ficar muito feias, especialmente após alguma pressão de venda pelo halving, que deve ocorrer em menos de 300 blocos.

Capitalização de mercado total: US$ 242 bilhões

Capitalização de mercado do Bitcoin: US$ 162,3 bilhões

Índice de dominância do BTC: 67,0%

* Dados: CoinGecko

Principais níveis de suporte e resistência a partir daqui

Suporte e resistência

No momento da redação desse texto, o Bitcoin se recuperou da zona de suporte de US$ 8.000 e atualmente está sendo negociado entre o suporte de US$ 8600 e a resistência de US$ 9.000.

Caso $ 8600 não se mantenha, o próximo suporte poderá ser $ 8400, seguido pelo nível de $ 8K, conforme descrito acima. Mais abaixo, estão $ 7700, que também é o nível de retração de 38,2% de Fibonacci (desde a recuperação de 12 de março). Em seguida, são US$ 7400, juntamente com a linha de média móvel de 50 dias (a linha rosa).

Acima, no caso de os US$ 9 mil serem derrubados, os próximos níveis de resistência seriam US$ 9130 (o nível de 61,8%) e US$ 9400 – US$ 9500 (a alta anterior).

O RSI diário

O RSI reflete a queda cruel; no entanto, o indicador de momento mantém atualmente o nível 50 RSI de alta. O RSI procurará recuperar o ritmo em torno dos níveis de 64 a 65, onde existe uma linha de tendência ascendente a médio prazo.

Volume

A enorme quantidade de liquidações longas provavelmente marcaria o candle de volume de domingo ao lado dos dias de maior volume do mês passado. Contudo, há mais de 12 horas a partir de agora até que o candle se feche.

Gráfico de 4 horas BTC/USD BitStamp

btc_may10_4h-min

Gráfico diário BTC/USD BitStamp

btc_may10_d2-min

Fonte: CryptoPotato

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.