Após 2 anos desaparecido, Rodrigo Marques da Atlas Quantum é localizado e vira alvo de protestos

Rodrigo Marques estava sendo procurado há meses pelos investidores da Atlas Quantum

Diversas fotos e vídeos de protestos realizados contra Rodrigo Marques estão estão circulando nas redes sociais. As imagens mostram dezenas de manifestantes reunidos para cobrar o fundador da Atlas Quantum.

Em sua maioria vestindo máscaras, os investidores protestaram durante toda a tarde de hoje na frente do apartamento onde o fundador da Atlas está localizado. Em meio a gritos de “ladrão” e diversos xingamentos, os manifestantes exigiam que Rodrigo Marques lhes pagasse o que era devido. Você pode ver um pequeno compilado dos protestos no vídeo abaixo.

A polícia apareceu no local, mas visto que se tratava de uma manifestação pacífica, não foi necessária uma intervenção.

Um dos líderes da manifestação, Gilliard Jorge deu declarações à nossa equipe acerca da manifestação:

“Eu vou dar a declaração em nome do movimento. Nós vamos atrás de todos os meios para reaver o nosso capital, para que Rodrigo Marques devolva o nosso dinheiro. Sabemos do endereço dele […] e vamos protestar. Vamos correr atrás do que é nosso, pois nossas famílias estão passando fome nessa pandemia.”

Quando questionado se o fundador da Atlas chegou a conversar com os manifestantes ou desceu de seu apartamento, Gilliard foi enfático:

“Não, Rodrigo Marques nem apareceu, foi um covarde. Gritamos aqui, teve carro de som, teve tudo. […] É um covarde, é um bandido. Se escondeu atrás de seguranças.”

A recompensa de 100 bitcoins por Rodrigo Marques

Rocelo Lopes (CEO da Stratum) disse em fevereiro que há um grupo de investigadores privados atrás de Rodrigo Marques (CEO da Atlas Quantum). A finalidade é municiar as autoridades com o máximo de informações possíveis. As conversas podem se expandir para o Serviço Secreto americano e também o FBI, segundo o próprio Rocelo.

Rocelo explica que há uma recompensa de 100 bitcoins  (mais de 34 milhões de reais hoje) para achar Rodrigo e conseguir marcar uma reunião com ele. Ele enfatiza que tudo ocorre dentro da lei, sem nenhum tipo de violência. Você pode saber mais informações sobre a caçada à Rodrigo Marques clicando nesse link.

Relembre o caso da Atlas Quantum

No dia 13 de agosto de 2019, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), através das Deliberação CVM 826, proibiu a Atlas Quantum de oferecer serviços de investimentos que possuam vínculos com criptomoedas, o que inclui o Bitcoin. É importante entender que nesse ponto a CVM estava proibindo que Atlas continuasse oferecendo seus serviços e captando novos clientes mas a empresa não estava proibida de operar com seus clientes já ativos.

Continuando o mês de agosto, após proibição da CVM, a a Atlas anunciou em seus canais oficiais a contratação da consultoria americana Grant Thornton. Em texto publicado no site Valor Investe, Rodrigo Marques,  fundador e CEO da empresa, disse que a companhia de auditoria Grant Thornton confirma que a Atlas tem os cerca de 15,3 mil bitcoins (R$ 628,5 milhões) que diz possuir. É bom ressaltar que nesse ponto a Atlas já estava atrasando pagamentos e o número de reclamações contra a empresa no ReclameAqui começava a disparar.

No dia 28 de novembro de 2019, a Atlas Quantum resolveu assumir a crise que enfrentava há meses. Em um comunicado oficial publicado em 28 de novembro, a empresa anunciou que começava um processo de turnaround, ou seja, uma mudança de rumo na tentativa de se recuperar financeiramente. No mercado, o turnaround costuma vir com redução de custos, mudança de gestão e, em casos mais extremos, venda de boa parte dos ativos da companhia. Nesse mesmo fatídico dia, a empresa resolveu demitir 100 dos seus 150 funcionários. Uma descrição completa e detalhada de tudo o que aconteceu com a Atlas Quantum pode ser encontrada clicando nesse link.

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.