Banco Central analisa a possibilidade de integração entre Bitcoin e conta tradicional

Banco Central do Brasil está analisando integrações sobre o Bitcoin e criptomoedas a contas bancárias tradicionais

O Banco Central do Brasil, anunciou hoje que está estudando a possibilidade de integrar a conta bancária tradicional com as criptomoedas, incluindo o Bitcoin.

A proposta foi enviada por duas empresas brasileiras, Exchange Mercado Bitcoin e a Fintech Alter, ambas fazem parte do processo Sandbox Regulatório. Caso as propostas sejam aprovadas pelo crivo do Banco Central, o projeto deverá ser incorporado a partir do mês de outubro.

Participação das criptos no Sandbox BC

O Sandbox Regulatório do BC teve início em 2021 com o Ciclo 1, que teve o período de realização do dia 22 de fevereiro a 19 de março deste ano, onde o Banco Central recebeu um total de 52 projetos e desses 52, serão aprovados somente 10, onde a divulgação será feita no dia 23 de setembro.

As aprovações consistem em 03 fases:

  • Fase 1: Checagem dos requerimentos documentais;
  • Fase 2: Análise dos aspectos como aderência as propriedades estratégicas do BC;
  • Fase 3: Autorização simplificada para que os projetos que estejam dentro do número de vagas disponíveis, possam operar no ambiente de teste Sandbox.

Vinicius Frias, CEO da Alter, comentou que embora a proposta encaminhada pela Alter já esteja em funcionamento, participar de algo tão grandioso como o Sandbox do Banco Central é algo muito importante para o mercado de criptomoedas.

Isso porque o Sandbox é um verdadeiro ambiente de testes que permite soluções inovadoras para o mercado financeiro. Além disso, em território internacional, já acompanhamos o pioneirismo nesse tipo de regulamentação.

Continuou:

O Alter é a primeira criptoconta do Brasil, oferecendo produtos e soluções que conectam duas pontas: mercado financeiro tradicional e criptoeconomia. Tem sido uma das empresas mais reconhecidas no modelo de “fiat on/off ramps”.

Alter tem crescido cada vez mais

O Alter foi uma das exchanges mais procurada do Brasil no mês de Abril, segundo o ranking do Cointrader Monitor, que avalia a procura por empresas por meio da análise estatística do clique dos usuários. A fintech concentrou 12,12% das pesquisas em buscadores e subiu uma posição em relação ao mês anterior.

Vinicius Frias ainda acrescentou:

Embora o Alter não se posicione diretamente como uma exchange, ainda assim, estamos ganhando espaço junto a esse público consumidor. Nosso crescimento vem de muito trabalho, de simplificar as transações e a vida do usuário. Vamos continuar entregando sempre a melhor experiência cripto para nossos clientes. Esse ranking tem um peso muito grande para nós do Alter.

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno.Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_