Caso InDeal: Em novo desenvolvimento, dois associados recebem habeas corpus

Justiça concede habeas corpus a dois associados da InDeal

Em maio o WeBitcoin noticiou que a Polícia Federal cumpriu mandados de prisão preventiva, busca e apreensão sob ação da operação Egypto, investigação criada em janeiro para averiguar o caso da InDeal.

Os sócios e associados da empresa, que aparentemente atuava sem a aprovação do Banco Central, tiveram itens de luxo (como carros, jóias e dinheiro) apreendidos. Posteriormente, no dia 29, a plataforma online da InDeal foi retirada do ar por ordem da justiça, deixando os investidores apreensivos.

Em um novo desenrolar do caso, na última terça-feira (11) os associados Flavio Gomes de Figueiredo e Paulo Henrique Godoi Fagundes receberam o habeas corpus após um julgamento da 7ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) na cidade de Porto Alegre-RS.

Os associados estavam presos desde o cumprimento dos mandados (em 21 de maio) no Presídio Central de Porto Alegre.

De acordo com a mídia local, a polícia se refere a Figueiredo como o coordenador das atividades de diversos consultores da InDeal em vários estados, além de supostamente ser proprietário de uma empresa que presta serviços relativos à captação de investidores para a InDeal. Quanto a Fagundes, aparentemente a Receita Federal aponta que foi o destinatário de transferências de capital originadas de uma conta da InDeal.

Eles não são os primeiros a serem soltos, visto que no início do mês a justiça concedeu prisão domiciliar a Karin Denise Homem, esposa de um dos sócios da empresa.

O plano para ressarcir os investidores

Como noticiado anteriormente pelo WeBitcoin, a empresa declarou que pretende quitar as solicitações de saque realizadas até o dia 28 de maio em no máximo 90 dias, acrescentando que no mesmo dia foi iniciada uma nova etapa que aparentemente irá ressarcir totalmente os investidores em até 120 dias. A empresa destaca que “todos os clientes serão ressarcidos de seus aportes, com os devidos ganhos de capital até o momento do saque”.

Com a desativação do site, a empresa solicitou que os investidores enviem a hash de uma carteira de Bitcoin e um print do endereço para comprovação, para que os pagamentos possam ser efetuados.

A empresa destaca ainda que os clientes que optarem por reaver seus aportes judicialmente devem aguardar o fim do processo para o recebimento, o que, de acordo com a equipe da InDeal, pode demorar muito mais do que o prazo de 120 dias, “além de gerar honorários com profissionais”.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli