“Deveriam ser ilegais”: CEO da Allianz Global se posiciona negativamente em relação às criptomoedas durante comitê

“Você deveria proibir isso”

Apesar do cenário turbulento apresentado pelo mercado de criptomoedas ao longo deste ano, diversas instituições financeiras tradicionais continuaram a explorar maneiras de tornar tais ativos mais acessíveis à seus clientes.

Grandes empresas de renome como a Fidelity e a Goldman Sachs estão criando produtos de custódia de cripto, ao passo que a ICE (Intercontinental Exchange) e a Nasdaq estão focadas na negociação de futuros.

Entretanto, a lista de grandes empresas que nutrem antipatia pela tecnologia também é grande.

Durante a reunião de um comitê em Londres, o CEO da Allianz Global, Andreas Utermann declarou que a proibição definitiva das criptomoedas é preferível em alguns cantos do mundo.

“Você deveria proibir isso. (…) Pessoalmente, estou surpreso que os reguladores não tenham agido com mais afinco.”

Com “você”, o CEO se refere ao chefe da FCA (Financial Conduct Authority) Andrew Bailey. De acordo com um relatório, em resposta, Bailey declarou que Andreas possuía um forte posicionamento, concordando que criptomoedas “não possuem valor intrínseco”.

“Estamos observando a situação de perto”, afirmou Andrew.

Apesar da forte antipatia de Andreas, um de seus colegas na empresa não compartilha da mesma opinião, sendo um pouco mais otimista quanto ao setor.

O economista-chefe da Allianz, Mohamed El-Erian, declarou não acreditar que criptomoedas substituirão o dinheiro tradicional, entretanto, pontuou que os ativos irão sobreviver ao cenário atual e se difundir cada vez mais.

WeBitcoin: "Deveriam ser ilegais": CEO da Allianz Global se posiciona negativamente em relação às criptomoedas durante comitê

FONTE:CCN

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli