Fidelity e Coinbase iniciam disputa para aquisição da Xapo

Empresa de custódia está sendo disputada por grandes players do mercado

O site de notícias The Block recentemente informou que, de acordo com uma fonte não identificada, a exchange americana Coinbase está em estágio avançado de negociação para adquirir a Xapo, empresa de custódia que oferece serviço de cartão de débito vinculado a uma carteira Bitcoin.

Aparentemente a exchange pretende comprar a empresa por US$50 milhões com o objetivo de alavancar sua custódia, apesar de que a fonte destaca que até o momento o acordo não foi firmado.

Entretando, a Coinbase não é a única interessada na Xapo, que também está sendo visada pela Fidelity Digital Assets. No entanto, aparentemente a exchange está muito à frente nas negociações. A competição supostamente vem se desenrolando há semanas.

A compra pela Fidelity seria o mais novo esforço da companhia para integrar a cripto esfera. A empresa lançou a Fidelity Digital Assets no começo deste ano, e supostamente irá oferecer serviços de trading de criptomoedas em breve.

A compra por parte da Coinbase, por outro lado, pode representar uma tentativa de diversificar suas fontes de renda para que não esteja tão sujeita aos valores das criptomoedas.

Se a exchange obtiver sucesso, a aquisição será a décima quarta da empresa, desde sua fundação. Muitas das aquisições foram realizadas ao longo de 2018, incluindo a startup de análises blockchain Neutrino e a plataforma de bonificação educacional Earn.com.

Aquisição poderia gerar grandes benefícios para a Coinbase

Representando um dos serviços de custódia mais antigos deste mercado, a Xapo supostamente é encarregada de mais de 700 mil Bitcoins (cerca de US$5.5 bilhões). A empresa custodia pelo menos 226 mil unidades da moeda, que pertencem à Grayscale.

A adição de tamanha quantia de ativos pode oferecer um benefício massivo à Coinbase, que também poderia adotar o modelo de negócio da Xapo como parte da aquisição, visto que a Xapo não cobra por seus serviços de custódia. Ao invés, a empresa gera receita por meio do uso dos ativos em negociações no mercado de balcão.

A companhia atraiu atenção positiva, ostentando uma lista impressionante de VCs do Vale do Silício e da indústria de cripto, incluindo a Winklevoss Capital, a Blockchain Capital, a Greylock Partners e a Index Ventures.

FONTE: FINANCE MAGNATES

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli