Maior banco da Bielorrússia considera lançar a própria exchange de criptomoedas

A iniciativa é mais um passo no caminho da digitalização

Apesar das quedas apresentadas no valor das criptomoedas, e tecnologia continua a evoluir e se integrar no mercado e na economia. Os ativos são vistos com bons olhos por pequenos países, que enxergam uma grande oportunidade de reivindicar uma nova economia digital.

É o caso da Bielorrússia, cujo maior banco aparentemente está considerando criar a própria exchange de criptomoedas.

De acordo com Viktor Ananich, presidente do conselho do Belarusbank, a viabilidade da criação de uma plataforma ainda está sendo avaliada. A iniciativa é vista como um passo no caminho da digitalização, fazendo parte de um planejamento do banco para 2019.

“Estamos trabalhando nisso”, declarou Ananich.

O banco é totalmente controlado pelo Comitê de Propriedade do Estado da República da Bielorrússia, que possui em torno de 99% das ações. Pela quantidade de ativos que possui, é considerado o maior banco comercial do país, fornecendo serviços a indivíduos e grandes organizações, como a Companhia de Petróleo local.

A Bielorrússia vêm tomando várias medidas para promover o desenvolvimento interno da indústria de cripto. O governo local chegou a legalizar atividades relacionadas aos ativos em março de 2018, adotando novas regulamentações para criar um ecossistema favorável a novas startups.

No final do ano passado, haviam quase 400 empresas registradas no Belarus High Technologies Park. Já neste ano, o país ganhou destaque quando foi noticiado que a Currency.com irá lançar uma plataforma de negociação para títulos com valor simbólico. A empresa pretende emitir mais de 10 mil tokens que irão rastrear o valor subjacente de ações, índices e commodities.

FONTE: BITCOIN.COM

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli