Singapura emitirá todos os certificados de estudo no blockchain

País irá conceder certificados registrados no blockchain

Diversas instituições de ensino ao redor do mundo aderiram à tecnologia blockchain para emitir e registrar certificados de estudos. Agora a medida será adotada em nível nacional em Singapura, que a partir deste ano irá conceder certificados digitais a todos os formandos de todos os níveis de escolaridade.

De acordo com o Channel New Asia, a iniciativa visa fornecer aos alunos um modo “fácil e confiável” de emitir e validar certificados resistentes ao tempo e alterações por meio da plataforma blockchain OpenCerts.

O projeto da plataforma foi desenvolvido por meio de uma parceria entre a SkillsFuture Singapore (SSG), Agência de Tecnologia do Governo (GovTech), Ministério da Educação (MOE) e Ngee Ann Polytechnic (NP), instituição local de ensino superior.

Aparentemente cada formando irá receber seu certificado por email com uma prova criptográfica exclusiva implantada para garantir verificação segura. Também foram anunciados planos para emitir certificados digitais para aqueles que já se formaram nas instituições locais.

Durante entrevistas de emprego, os certificados poderão ser consultados diretamente na plataforma online da OpenCerts. A medida irá diminuir tanto a papelada das empresas quanto o custo das escolas com emissão e verificação individual.

De acordo com um tweet compartilhado por Changpeng Zhao, CEO da exchange Binance, a plataforma blockchain OpenCerts faz parte da rede Ethereum.

Em janeiro foi noticiado que  a Universidade de Bahrain irá emitir certificados utilizando a tecnologia blockchain por meio do sistema Blockcerts. A iniciativa faz parte de um esforço da instituição para digitalizar seus processos e simplificar a portabilidade e a propriedade dos certificados para alunos com localização instável ou remota.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli