Tudo o que você precisa saber sobre ETF de Bitcoin

Um ETF de Bitcoin cria uma maneira simples e legal de negociar o preço do Bitcoin, acessível em mercados com os quais os investidores já estão familiarizados.

Que o Bitcoin está na “boca do povo”, isso podemos concordar, porém existem muitas inovações nesse mercado e a cada uma delas, surgem mais dúvidas. Acabamos de compreender como a moeda funciona e lá vem mais novidades, e assim percebemos que o mundo tecnológico e financeiro, caminham cada vez mais de mãos dadas.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) autorizou a negociação de um ETF (Fundo de Índice) de Bitcoin. Criado pela QR Asset Manegement, este será o primeiro ETF atrelado exclusivamente a Bitcoin da América Latina, com o ticker QBTC11.

Com essa novidade, uma grande oportunidade surge para os investidores brasileiros.

Vamos então aprender um pouco mais sobre mais essa realidade do Bitcoin e como podemos desfrutar dessas alternativas.

Com mais popularidade do que nunca, muitas pessoas novas estão interessadas em adquirir algum Bitcoin. Mas muitos dos curiosos pela criptomoeda ainda vêem a compra de Bitcoin com um certo receio. Os aspectos técnicos de manter Bitcoin, como carteiras cripto, endereços de Bitcoin e chaves privadas, são confusos para os recém-chegados e afugentam alguns investidores.

Afinal, o que é um ETF?

ETF é a sigla em inglês para Exchange Traded Funds. Em tradução livre para o português, seria algo como “fundos negociados em Bolsa”.

Um ETF é um veículo de investimento que é negociado publicamente, como uma ação, mas acompanha o desempenho de um ativo ou índice subjacente, em vez de uma empresa, é uma forma de os investidores obterem exposição ao valor de seu ativo subjacente, como ouro ou petróleo.

Como já mencionado os ETFs são negociados em uma bolsa de valores tradicional, e seu valor deve subir quando o preço do ativo aumenta e cair quando ele diminui.

Um ETF de Bitcoin funciona da mesma maneira que qualquer outro ETF. Os investidores compram ações do ETF por meio de qualquer corretora em que compram ações e podem negociá-las da mesma forma que negociam com ações da Apple ou da Tesla.

Os ETFs do Bitcoin rastreiam o preço atual do Bitcoin e devem agir em sincronia com as oscilações de preço do mesmo.

Como funciona um ETF de Bitcoin?

Um Bitcoin ETF é administrado por uma empresa que compra e mantém o Bitcoin real; o preço está atrelado ao Bitcoin mantido no fundo. A empresa lista o ETF em uma bolsa de valores tradicional, e você, o investidor, negocia o ETF da mesma forma que negocia com qualquer outra ação.

Falando um pouco mais sobre o ETF criado pela QR Asset Manegement, esse ETF é o primeiro da América Latina a ter como índice o Bitcoin. Dos países que compõem o G20, apenas outros três têm ETFs pautados na criptomoeda. O Canadá tem os outros três.

Desde que a negociação desse ativo na B3 foi autorizada, diversos analistas e investidores têm debatido a respeito dos efeitos que esse fundo causará no mercado. Não é possível afirmar exatamente quais serão eles, mas é fato que ele terá grande influência nas negociações e operações realizadas na Bolsa de Valores brasileira.

O ETF da QR tem o objetivo de replicar um índice que seja baseado no desempenho do Bitcoin. Ou seja, as alocações de capital realizadas pelo fundo tenderão a espelhar o preço médio da criptomoeda e esse preço médio será pautado nas principais corretoras que regulam a criptomoeda no mundo.

O fornecedor do índice, que também é utilizado pelos contratos futuros de Bitcoin da Bolsa de mercadorias de Chicago (Chicago Mercantile Exchange – CME), é, portanto, a CF Benchmarks.

Como investir no ETF de Bitcoin na B3?

Para investir em um ETF é necessário abrir uma conta em uma corretora ou banco de investimento de confiança. Para isso, bastar inserir os seus dados e seguir o passo a passo indicado no aplicativo. Posteriormente, você poderá transferir o recurso que pretende investir via TED, DOC e também Pix.

A partir da plataforma de investimento, você deve escolher a opção de home broker, tendo acesso às opções disponibilizadas. Procure pelo ETF em que deseja investir — no caso, o QBTC11.

Indique por qual valor pretende realizar a compra, insira a sua assinatura digital e confirme.

Por que a necessidade de um Bitcoin ETF?

Quando pensamos em Bitcoin, logo imaginamos, por que os investidores simplesmente não comprariam Bitcoin, ao invés de investir em um ETF?

Para a maioria dos investidores de varejo regulares, Bitcoin e criptomoedas em geral ainda parecem arriscados.

Além de ter regulamentos pouco claros em torno deles, possuir Bitcoin requer manter uma carteira de Bitcoin e confiar nas exchanges de criptoativos, que ainda são um território desconhecido para pessoas não familiarizadas com o espaço e requerem um certo nível de autoeducação.

Ter Bitcoin coloca o peso da segurança diretamente sobre você, tornando-o responsável por manter suas próprias chaves privadas seguras. Isso pode significar a compra de uma carteira de hardware para proteger os Bitcoins adquiridos ou o armazenamento de chaves privadas de maneira segura. Você também teria que descobrir como declarar impostos sobre as vendas de Bitcoin que resultaram em ganhos de capital.

Com um ETF de Bitcoin, os investidores não precisam se preocupar com chaves privadas, armazenamento ou segurança. Eles possuem ações no ETF, assim como suas ações, e podem ganhar exposição ao mercado de criptomoedas sem ter que passar pelos aros de comprar e manter criptomoedas.

E, para ser mais claro, essa é uma proposta extremamente atraente para muitas pessoas “normais“, bem como para investidores institucionais sofisticados.

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8