Volatilidade do Bitcoin aumentou desde o “crash” da COVID-19

A volatilidade do Bitcoin é maior do que o normal – mas devemos nos preocupar?

A volatilidade percebida do Bitcoin atingiu níveis tão altos quanto março de 2020, mês em que o Bitcoin sofreu um “crash” por conta da COVID-19, de acordo com dados da empresa de análise Skew.

https://twitter.com/cryptounfolded/status/1353319138320637954?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1353319138320637954%7Ctwgr%5E%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fdecrypt.co%2F55182%2Fbitcoin-realized-volatility-highest-since-2020-crash-skew

‘Volatilidade realizada’ refere-se à flutuação média do preço de uma moeda ao longo de um período de 30 dias. A Skew mede a volatilidade calculando o desvio padrão no preço do Bitcoin ao longo do tempo.

No mês passado, o número chegou a 103%, mostraram os dados da empresa. Isso significa que, nos últimos 30 dias, o preço do Bitcoin desviou-se de seu preço médio em 103%.

Contribuindo para isso ao longo do mês passado estão os altos e baixos repentinos do preço do Bitcoin. Uma grande liquidação em 11 de janeiro fez com que o Bitcoin sofresse sua maior queda de preço diária e, nas semanas anteriores, o Bitcoin atingiu quase US$ 42.000, seu preço mais alto de todos os tempos.

Embora os números de volatilidade sejam semelhantes aos de março passado, quando o Bitcoin caiu assim que a pandemia começou ganhar força (assim como tudo o mais), a principal diferença é que estamos em uma bull run.

Durante uma bull run, as flutuações de preços são mais comuns, pois os investidores encerram duas posições em pontos diferentes. Pedro Febrero, analista da Quantum Economics, disse à Decrypt:

“Quanto mais volatilidade tiver o preço, maior será a magnitude da variação dos preços do Bitcoin. Durante uma bull run, isso é de se esperar.”

O que desce… pode subir

Apesar da volatilidade do Bitcoin, ele superou outros ativos, como ouro, no ano passado.

Além disso, em geral a volatilidade do Bitcoin está diminuindo: conforme o preço e a capitalização de mercado da criptomoeda aumentam com o tempo, a volatilidade do ativo diminui.

E no ano passado, o Bitcoin e outras criptomoedas valorizaram e tiveram um desempenho melhor do que os investimentos tradicionais.

Um investidor anônimo rastreou dez criptomoedas ao longo de 2020 e descobriu que elas tiveram um desempenho oito vezes melhor do que o mercado de ações dos EUA: seu investimento de $ 1000 em criptomoedas cresceu 139%, enquanto o S&P 500 subiu 16%.

Fonte: Decrypt

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.