Walmart fica mais forte na pandemia: vendas trimestrais cresceram 5,3%

Walmart tem visto o ano de 2020 como extremamente positivo para os negócios, mesmo em meio à pandemia do coronavírus

O Walmart teve outro trimestre estelar, já que o maior varejista do mundo superou uma pandemia que abateu outras redes nacionais. Os lucros do terceiro trimestre aumentaram 56% e a receita atingiu US$ 133,75 bilhões, um aumento de 5,3%. Ambos foram melhores do que Wall Street havia projetado. As vendas online aumentaram quase 80% depois de quase dobrar no trimestre anterior.

As vendas nas lojas abertas há pelo menos um ano aumentaram 6,4%. É um sinal promissor para o Walmart antes da próxima temporada de férias, e o trimestre fornece mais evidências de que sua expansão para o mercado online está aumentando a distância com os rivais. Em setembro, lançou um programa de adesão para oferecer o que as pessoas desejam mais do que nunca em uma pandemia, à medida que reduzem sua exposição ao público: conveniência.

As grandes lojas estão prosperando, mesmo com milhares de lojas de varejo e redes nacionais sofrendo. Isso foi exibido na terça-feira, quando a Home Depot relatou um aumento nas vendas trimestrais de 23%. Na Kohl’s, uma varejista mais tradicional, as vendas caíram 13,3% e ela perdeu dinheiro. Mais do mesmo é esperado esta semana nos relatórios de lucros trimestrais da Target, Lowe’s e Macy’s.

A lealdade do cliente em grandes lojas ficou mais forte mesmo com o fim dos lockdowns de primavera, mas as infecções estão aumentando novamente e isso pode causar outra rodada de dor para outros varejistas.

O Walmart está fazendo mais acomodações para esse aumento, espalhando sua tradicional venda da Black Friday em três eventos separados em novembro. Algumas das ofertas mais atraentes estão indo para a internet para encorajar os clientes a ficarem em casa.

O Walmart no sábado começará novamente a contar os clientes que entram em suas lojas, como fez na primavera, para controlar o número de compradores dentro das lojas.

Enquanto navega pelo aumento de infecções em muitas regiões dos EUA, a empresa está se afastando ainda mais dos esforços de expansão internacional.

O Walmart anunciou na segunda-feira que venderia 85% de sua subsidiária japonesa de supermercados Seiyu, em um negócio avaliado em US$ 1,6 bilhão. A empresa ainda disse no início deste mês que estava recuando da Argentina.

No mês passado, o Walmart disse que venderia sua rede de supermercados britânica Asda por 6,8 bilhões de libras (US$ 8,8 bilhões), embora mantenha uma participação minoritária e um assento no conselho.

Fonte: Daily Herald

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.