Bitcoin passa pelo maior ajuste negativo de dificuldade de mineração em mais de um ano

Bitcoin passa pelo maior ajuste negativo de dificuldade de mineração em mais de um ano

A métrica registrou sua sequência negativa mais longa em cerca de um ano, mas poderia realmente ser esperada.

A dificuldade de mineração do Bitcoin acabou de passar pelo seu maior reajuste negativo em mais de um ano, caindo mais de 5%. A taxa de hash também diminuiu ultimamente, o que é um pouco normal, dado o fato de que muitos mineradores têm passado por dificuldades ultimamente. As informações são do site CryptoPotato.

Dificuldade de mineração de Bitcoin cai 5%

Ocorrendo aproximadamente a cada duas semanas (após 2.016 blocos), a dificuldade de mineração torna mais difícil ou mais fácil para os mineradores fazerem seu trabalho. Essencialmente, segue o comportamento dos mineradores e os últimos movimentos e reajustes da taxa de hash com base em quantos mineradores atualmente têm suas máquinas conectadas.

A regra geral é que, quando há mais mineradores fazendo isso, o ajuste de dificuldade torna mais difícil para eles garantir que a produção de blocos permaneça relativamente constante e vice-versa.

Os dados do BTC.com mostram que o último ajuste, que aconteceu horas atrás, diminuiu a dificuldade em 5,01%. Este é o maior reajuste negativo único desde 3 de julho do ano passado. Além disso, é a terceira negativa consecutiva, o que também a torna a mais longa sequência desse tipo em pouco mais de um ano.

A partir de agora, a dificuldade caiu para pouco menos de 27,69T após atingir o pico acima de 31T em meados de maio.

PIC1 1
Dificuldade de mineração de Bitcoin. Fonte: BTC.com

A taxa de hash também sofreu ultimamente. De acordo com o BitInfoCharts, atingiu uma ATH em 8 de junho em mais de 250 Ehash/s, mas caiu quase 25% desde então e atualmente está abaixo de 190 Ehash/s.

Por que agora?

Os mineradores de Bitcoin enfrentaram vários desafios no último mês, todos os quais contribuíram para a diminuição da taxa de hash e, posteriormente, para a diminuição da dificuldade de mineração.

Por um lado, o governo do Irã supostamente decidiu proibir a mineração nos próximos meses devido ao aumento da temperatura e consumo de eletricidade.

Embora a participação da taxa de hash do Irã seja bem pequena, os mineradores localizados nos EUA também enfrentaram desafios. A Marathon Digital, uma das maiores mineradoras de BTC, disse que 75% de sua frota de mineração foi prejudicada por causa de uma grande tempestade em Montana.

Os mineradores localizados no Texas também sofreram devido às condições climáticas, mas foi por causa das fortes ondas de calor. Como tal, eles tiveram que interromper as operações, enquanto outros mineradores de BTC tiveram que demitir funcionários por conta da queda do mercado em andamento.

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.