BWA culpa NegocieCoins por atraso nos saques

Empresa BWA bloqueou saques, clientes deverão aguardar até janeiro

Segundo informações recentes, o empresário Paulo Roberto Ramos Bilibio, dono da BWA, recentemente deixou de pagar seus clientes. A BWA atua no segmento de investimentos de Bitcoin e criptomoedas de forma fechada desde 2017, na cidade de Santos. Para ser membro é necessário um depósito no valor mínimo de R$30 mil.

A empresa BWA está cobrando cerca de R$163 milhões da NegocieCoins, do Grupo Bitcoin Banco (GBB). A BWA utilizava a NegocieCoins para comprar e vender os criptoativos. 

O CNPJ da empresa não consta no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o que implica na empresa estar atuando sem autorização. 

Segundo relato de uma investidora que não deseja ser identificada, a empresa bloqueou seu saque em novembro, desde então ela entra em contato com Bruno Bilibio (filho de Paulo Bilibio) para tentar recuperar seu investimento. 

“Cheguei a comentar com o filho dele sobre os assuntos, falei para ele não pagar a rentabilidade para os clientes, somente pagar o valor inicial”.

Entretanto, de acordo com o relato, Bruno pediu para que clientes aguardem até dia 15 de janeiro, pois a perda que teve envolvendo o Grupo Bitcoin Banco foi grande.

De acordo com a investidora, Bruno afirma que as acusações relacionadas à BWA e ao Grupo Bitcoin Banco são apenas boatos e que os investidores não devem se preocupar. 

“Quando teve o caso envolvendo a BWA e o Grupo Bitcoin Banco (GBB), tinha uma plataforma chamada BAT, onde o forte era a moeda Ethereum. Assim que a plataforma do GBB começou a travar, a BWA tirou a BAT do site.

 


Desde então a empresa continuou com os investimentos como era no início em Santos. A BWA tem escritório aqui em Santos, no shopping Praiamar e em São Paulo.

 


Desde que à história do rapaz que culpou o Paulo Bilibio de roubo e a do sequestro envolvendo policiais que fez Paulo Bilibio pagar 1 milhão, a empresa passou a bloquear o saque na plataforma.

 


Resumindo, já não sei mais o que fazer, investi tudo o que tinha na BWA, tenho uma filha pequena e depositei na empresa o meu sonho, projetei e lutei. Sou assalariada e estou depressiva, escrevo praticamente todos os dias para o filho do Paulo (Bruno) implorando misericórdia, mas ele só pede para ter paciência.

 


Paciência para mãe de família? Como vou pedir paciência para a barriga da minha filha quando vou realizar a compra mensal?” declarou a investidora. 

Segundo as queixas feitas no site Reclame Aqui, neste mês a empresa não chegou a pagar qualquer valor aos clientes. 

O dono da BWA, Paulo Bilibio, está vivendo nos EUA e de acordo com o Diário Oficial da Justiça, Paulo possui cerca de 12 processos indexados em seu nome, todos no Estado de São Paulo. 

Tentamos contato com a assessoria da empresa, mas até o momento do fechamento da matéria a BWA não se posicionou sobre o caso. Em caso de resposta/novidades, essa publicação será atualizada.

Foto de Mirian Romão
Foto de Mirian Romão O autor:

Graduada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e Pós-Graduada em Comunicação em Redes Sociais.

mirian_romao