Forças deflacionárias ajudarão o preço do Bitcoin a chegar a US $ 100 mil em 2022

De acordo com Mike McGlone, a deflação poderia trocar a inflação no próximo ano e isso elevaria o preço do Bitcoin para US $ 100 mil.

Mike McGlone, Estrategista Sênior de Commodities da Bloomberg, espera que 2022 seja um ano de sucesso para Bitcoin e ouro. Ele acredita que a criptomoeda primária chegará a US $ 100.000, enquanto o metal precioso será negociado a US $ 2.000.

O que impulsionará o Rally do Bitcoin em 2022?

O atual sistema financeiro global está passando por tempos difíceis, para dizer o mínimo. A pandemia COVID-19 e as preocupações com a saúde em torno dela, fizeram com que muitas empresas parassem temporariamente de operar ou enviassem seus trabalhadores para trabalhar em casa (home office). Isso levou à interrupções imediatas, prejudicou a produtividade e construiu uma base sólida, para futuras questões monetárias.

Ao mesmo tempo, vários Bancos Centrais começaram a imprimir grandes quantidades de moedas fiduciárias, para aliviar algumas das dores de curto prazo. No entanto, ao fazer isso, a taxa de inflação subiu para níveis nunca vistos, em décadas. Nos EUA, a inflação atual é de mais de 6% – o maior em quase 40 anos.

E enquanto as moedas nacionais, como o dólar americano, estão perdendo lentamente seu poder de compra, o Bitcoin é considerado por muitos como exatamente o oposto. No momento, é um ativo inflacionário. Seu suprimento fixo de 21 milhões de moedas que já existiram lhe confere uma escassez confiável, tornando-o uma ferramenta de investimento atraente que muitas pessoas embarcaram durante a turbulência financeira em curso.

No entanto, Mike McGlone da Bloomberg previu que “forças deflacionárias” prevalecerão no próximo ano e a inflação parará de se espalhar pelo globo. Este processo pode ajudar a criptomoeda primária a atingir um marco significativo em seu desenvolvimento em dólares de US $ 100.000. De acordo com o especialista, os mesmos fatores farão com que o ouro suba para US $ 2.000 e o petróleo chegue a US $ 50.

https://twitter.com/mikemcglone11/status/1468907589593444359?s=20

Bitcoin como hedge

Outra declaração recente da Bloomberg revelou que muitos investidores atualmente se protegem do aumento da inflação entrando no Bitcoin. A empresa até chamou a criptomoeda líder de “a melhor proteção contra a inflação”.

A teoria de que o Bitcoin é uma alternativa, é apoiada por muitos nomes proeminentes, incluindo Anthony Scaramucci, Paul Tudor Jones e Barry Sternlicht. Não muito tempo atrás, Jordan Peterson, um psicólogo clínico e uma personalidade famosa do YouTube, também se juntou a este clube.

Depois de ter uma conversa educacional com o Dr. Saifedean Ammous, que afirmou que o Bitcoin é “essencialmente a mais poderosa tecnologia defensiva contra a inflação”, Peterson disse que comprou mais Bitcoin.

Posteriormente, John Authers, jornalista da Bloomberg, determinou que o Bitcoin atingiu 99,996% de deflação nos últimos dez anos, o que significa que o preço de uma única moeda em 2011 agora custa apenas 0,004 hoje.

Fonte: Crypto Potato

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno.Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_