Empresa japonesa desenvolve chips de mineração de 12nm

Uma das principais fabricantes de tecnologia de Internet e mais nova participante na indústria de hardware cripto, a GMO Internet Inc. desenvolveu um chip semicondutor FinFET de 12 nanômetros para sua nova geração de mineradores cripto. A empresa descreveu a inovação como um passo significativo “em direção ao desenvolvimento de […] uma tecnologia de processamento de 7 nanômetros para chips de mineração.”

GMO desenvolve chips de mineração SHA256 de 12 nanômetros

A GMO Internet Inc. anunciou o desenvolvimento bem sucedido de “um novo chip FinFET de mineração de 12 nanômetros” durante “a primeira etapa […] de pesquisa e desenvolvimento.”

A empresa ressaltou que o desenvolvimento de seu chip de mineração de 12 nanômetros foi uma etapa significativa em direção ao “desenvolvimento de seu novo computador de alta performance para mineração.” Além disso, a GMO enfatizou que o desenvolvimento do chip de 12 nanômetros ocorreu “antes do desenvolvimento de uma tecnologia de processamento de 7 nanômetros” – afirmando que tal tecnologia corresponde a uma inovação “de última geração” em “hardware de mineração ASIC.”

A GMO disse que “dará continuidade ao desenvolvimento de uma tecnologia de processamento de 7 nanômetros para chips de mineração,” e acrescentou que “não venderá placas de mineração equipadas com os chips FinFET de 12 nanômetros.”

Leia mais: Empresa considera IOTA supervalorizado em virtude de suas falhas graves

GMO reforça sua liderança na indústria de hardware para mineração

A GMO Internet Inc., sediada no Japão e com mais de 60 empresas individuais instaladas em 10 países diferentes, anunciou sua participação na indústria de mineração cripto em setembro do ano passado.

A empresa demonstrou seu desejo de apoiar a infraestrutura de mineração de moedas virtuais por descrever as criptomoedas como “as novas moedas universais.” A empresa atualmente opera um centro de mineração alimentado por energia renovável no norte da Europa, e pretende desenvolver e apresentar “a nova geração de placas de mineração equipadas com chips de 12 nanômetros no primeiro semestre de 2018.”

O anúncio sobre o desenvolvimento de chips de 12 nanômetros da GMO veio no mesmo dia em que a empresa revelou que começou “a oferecer a versão oficial do serviço de blockchain na nuvem Z.com.” A empresa descreve o novo serviço como uma “plataforma de blockchain do tipo PaaS (plataforma como serviço)” que permite que usuários “desenvolvam aplicativos distribuídos” no blockchain “usando o Ethereum.” O projeto já estava em beta desde 2016.

O que você acha do desenvolvimento de um chip de 12 nanômetros pela GMO? Deixe sua opinião nos comentários!

Fonte: Bitcoin.com

Foto de Andre Cardoso
Foto de Andre Cardoso O autor:

André , ariano, engenheiro, empreendedor, trader de criptos profissional, palestrante e professor. Adora números, gráficos e aprender coisas novas.

andre.cardoso.btc/