Enganação ou dinheiro fácil? Entenda o que são “grupos de sinais”

Afinal, grupos de sinais são grandes ladrões de dinheiro ou paraísos na terra para quem quer engordar o capital de modo fácil?

Para muitos, grupos de sinais representam a oportunidade de ganhar dinheiro fazendo pouco ou até mesmo nenhum esforço. Para outros, esses grupos possuem o único propósito de ganhar dinheiro em cima de pessoas pouco instruídas sobre o mercado cripto.

A verdade é que existe um meio-termo aqui, não pela “essência” dos grupos, já que isso não existe, mas pelo caráter dos formuladores desses grupos.

Para que fique mais claro, se um grupo de sinais é uma enganação ou uma oportunidade de “lucro fácil”, depende exclusivamente das pessoas responsáveis por aquele grupo.

Antes de mais nada, é preciso explicar o funcionamento do sistema: os grupos de sinais podem funcionar tanto de maneira automatizada como manual. Se você está em um grupo manual, um sinal de compra ou venda será gerado (normalmente dentro de uma plataforma de comunicação em massa, como o telegram) e você poderá realizar a ação sugerida na sua conta.

Se for automatizada, um bot fará as compras e vendas para você. Essa segunda tem a vantagem da praticidade, além de poder atuar 24h por dia, mas tende a ser mais cara.

A permanência nesses grupos normalmente ocorre através de uma mensalidade, independente dos resultados daquele mês.

E é aqui que entra o ponto de crítica, onde muitos apontam que tais grupos existem apenas com o intuito de obter a mensalidade dos clientes, sem que exista um real compromisso em gerar sinais de qualidade, que tenham alta chance de êxito.

De fato, os grupos normalmente não prometem qualquer rentabilidade, com o desempenho sendo baseado na qualidade das análises dos profissionais responsáveis pela liberação dos sinais aos clientes.

Por isso, antes de aderir aos serviços de um grupo de sinais é bem importante verificar alguns pontos:

Primeiro, ver se as pessoas responsáveis são de confiança e realmente oferecem o serviço com seriedade. Segundo, verificar a rentabilidade média do grupo nos últimos meses, para entender se, de fato, se trata de um grupo consistente, cujas análises são bem feitas.

Por último, ter muito cuidado com as entradas manuais nas chamadas “shitcoins“. Dependendo do capital disponível, sua entrada pode desbalancear o livro de compras, fazendo com que você compre o book praticamente inteiro.

Esse último ponto está entrelaçado com os dois primeiros, já que uma análise séria não indicaria ação em moedas sem qualquer volume ou liquidez. Um sinal que apresentou ganho de 10% não deve ser olhado apenas de maneira fria. Verifique se aquela moeda possui volume e se o seu capital não faria de você uma baleia daquele ativo.

Por fim, talvez sirva como uma dica extra: procure recomendações, principalmente de pessoas conhecidas e reconhecidas na comunidade cripto.

Valorize seu dinheiro e invista com inteligência, sempre!

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.