Explicando os mecanismos de consenso da Blockchain

Vamos ver a importância dos mecanismos de consenso, tipos e exemplos de lista de projetos usando os diferentes tipos de mecanismos

Explicando os mecanismos de consenso da Blockchain

Um mecanismo de consenso é um mecanismo tolerante a falhas usado em sistemas de computador e blockchain para obter o acordo necessário sobre um único valor de dados ou um único estado da rede entre processos distribuídos ou sistemas multiagentes.

Em resumo ele permite a documentação adequada do histórico na blockchain. Para criptomoeda, esse histórico é a ordem em que as transações ocorrem.

Nas instituições financeiras tradicionais, as transações financeiras são centralizadas e mantidas por livros contábeis acessíveis a apenas alguns. Esse sistema de manutenção de registros tem inúmeras desvantagens, e a história afirma com inúmeras evidências de que essas instituições traem a confiança de seus clientes.

Com a tecnologia de contabilidade distribuída, blockchain, as transações financeiras são acessíveis a todos. Além disso promove a transparência maior eficiência e responsabilidade.

O mecanismo de consenso é o ponto chave para como a Blockchain alcança essa descentralização e validação de dados. Ele influencia a verificação de transações, consumo de energia, taxas de rede, velocidade de transação, entre outras funções para aplicações de moeda e rede.

Por meio do consenso, todos os nós participantes em uma blockchain concordam com a integridade do log de transações existente e aprovam novas entradas.

Tipos de mecanismos

Prova de Trabalho (POW): este é o mecanismo de consenso pioneiro. O conceito foi introduzido por Cynthia Dwork e Moni Naor em 1993 como uma forma de prevenir ataques de negação de serviço e outros abusos de serviço.

Sua primeira adoção no mundo financeiro foi por Hal Finney em 2004 para proteger dinheiro digital usando o algoritmo de hash SHA -256. Foi adotado para a estrutura Bitcoin e se popularizou após a introdução do whitepaper Bitcoin em 2009 por Satoshi Nakamoto.

É a base para muitas outras transações de criptomoedas e permite um consenso seguro e descentralizado. O modelo de Prova de Trabalho exige que os membros de uma rede despendam esforços para resolver um quebra-cabeça matemático arbitrário para a verificação de transações na rede.

Para o Bitcoin, envolve uma iteração do algoritmo de hash SHA-256, que adiciona novos blocos às transações em sua blockchain. É muito seguro e fornece recompensas aos mineradores por manter a integridade da rede. No entanto, foi comprovado que possui baixa velocidade de transação, taxas caras, alto consumo de energia com impacto ambiental substancial.

Exemplos de projetos POW são Bitcoin, Litecoin, Dogecoin, Ethereum 1.0, entre outros.

Prova de Participação (POS): este é o segundo mecanismo de consenso de criptomoeda mais popular. Ele foi criado como uma alternativa de prova de trabalho e reduz o trabalho computacional necessário para verificar as transações da blockchain.

Foi criado em 2012 por dois desenvolvedores chamados Scott Nadal e Sunny King, que argumentaram que o modelo POW exigia o equivalente a US $ 150.000 em custos diários de eletricidade. Ele foi projetado para reduzir a escalabilidade e as preocupações ambientais do protocolo POW.

Com isso reduz a estrutura de poder computacional POW com staking, que envolve validadores selecionados aleatoriamente, confirmando transações da blockchain e exigindo que quantias específicas de criptomoeda sejam entregues como garantia.

Os projetos que utilizam a prova de participação têm transações mais rápidas e com muito menos impacto ambiental.
No entanto, ainda não foi comprovado que ele é dimensionado como o modelo POW e pode não ser tão seguro.

Pois o ponto negativo é a concentração da riqueza, já que quem possui mais moedas acaba tendo mais chances de ser escolhido para criar novos blocos e ganhar as recompensas por isso, ficando ainda mais rico. Exemplos de projetos de POS são Cosmos, Cardano, Solana, Tezos etc.

Os conceitos de POW e POS são os mecanismos de consenso mais populares e dão suporte a alguns dos maiores projetos de criptomoedas.

É interessante mencionar que existem outros mecanismos de consenso. Enquanto alguns deles já estão impulsionando projetos inovadores, alguns deles ainda estão em fase de teste.

Esses outros mecanismos de consenso incluem: Prova do Espaço-Tempo, Prova de participação delegada, Prova de Autoridade, Tolerância a falhas bizantina prática, Lista de nós exclusivos, Gráfico acíclico direto.

Os mecanismos de consenso estão trazendo uma revolução tecnológica à área de computação distribuída, ao resolverem nas blockchains problemas clássicos até então considerados sem solução. Com isso, novas aplicações além daquelas voltadas à área financeira estão surgindo gradativamente e resultados interessantes são esperados para os próximos
anos.

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8