FED tenta enganar e destacar o dólar como melhor moeda medindo a inflação citando o BTC

Fed

FED emitiu um artigo publico tentando demonstrar a inflação em termos do Bitcoin e tenta destacar que o dólar é melhor que o Bitcoin

Com distorção de números e palavras tentam fazer com que o dólar é o melhor dinheiro, mas todos nós sabemos o que está acontecendo. Podemos até fazer uma breve citação de Gandhi e destacar em qual estagio: “Primeiro eles te ignoram, depois riem de você, depois brigam com você, depois você vence” e ainda eu ouso a dizer que não esta muito distante para chegar no último estagio, pois muitos já estão tentando usar as criptos como meio de transação.

Em primeiro lugar, vamos ver com quem estamos lidando. O blog FRED publicou o artigo em questão, conforme divulgado por Bitcoinist.

Abreviação de Federal Reserve Economic Data, FRED é um banco de dados online que consiste em centenas de milhares de séries temporais de dados econômicos de dezenas de fontes nacionais, internacionais, públicas e privadas, segundo eles mesmos . A organização foi criada e mantida pelo Departamento de Pesquisa do Federal Reserve Bank de St. Louis.

Isso sendo claro, vamos analisar suas palavras.

O que o FED pensa sobre a inflação?

O primeiro truque que o FED usa para deturpar as massas é usar um conceito distorcido de inflação e tentar misturá-lo com a volatilidade admitida do Bitcoin.

Mesmo nossa taxa de inflação atualmente alta em dólares americanos é ofuscada pelos altos picos da taxa de inflação no Bitcoin, sem mencionar as oscilações selvagens do Bitcoin. Nunca na história do dólar americano a taxa de inflação atingiu as alturas que o Bitcoin atingiu em várias ocasiões em poucos anos.

O FED não sabe o que é inflação? Claro que sim, mas se eles usassem o conceito certo, todo o seu argumento desmoronaria. A inflação não é um aumento geral de preços. Segundo o economista da Escola Austríaca Ludwig von Mises:


… a inflação é um aumento na quantidade de moeda sem um aumento correspondente na demanda por moeda.

E o FED tem impresso dinheiro como se não houvesse amanhã desde a pandemia. É isso que está causando o caos.

A inflação do Bitcoin, por outro lado, está embutida no código. A oferta é fixada em 21 milhões de Bitcoins, e o valor liberado para o mercado é previsível e conhecido por todos os participantes. Permanece constante ao longo de ciclos de quatro anos até que o “halving” chegue. A inflação do Bitcoin diminui em 50% a cada halving.

Portanto, o parágrafo citado é intelectualmente desonesto e destinado a confundir o público em geral.

O que o FED pensa sobre Bitcoin?

Para piorar as coisas (para eles), o FED tenta ao acaso enquadrar os aumentos de preço do Bitcoin como ruins. Seu próprio gráfico começa em 2016 e mostra claramente, como o podcaster Stephan Livera destaca:

Os detentores de Bitcoin estão literalmente 45 VEZES o equivalente fiduciário nesse período de tempo.

Além disso, observe como o autor está falando sobre a volatilidade do Bitcoin, mas nem menciona o termo. Por que é que?

O Bitcoin também exibe deflações severas. Isso é problemático para uma moeda usada para transações: com a deflação, os consumidores esperam que os bens se tornem mais baratos e, portanto, esperam para comprar, o que pode levar ao colapso da economia.

Esse é o argumento dos economistas keynesianos em poucas palavras. Essa escola de pensamento ignora propositadamente um fato-chave: as pessoas têm que comer. E eles têm apenas uma vida. Quanto eles podem esperar para que “os bens se tornem mais baratos”? As pessoas podem não comprar um telefone novo a cada ano, mas comprarão um telefone. De volta a Stephan Livera, “Enquanto os keynesianos argumentam que a deflação é ruim e colapsa a economia, os austríacos apontam que isso está confundindo a questão”.

Falando em confusão, veja como o FED tenta desorientar o público em geral. Eles enquadram a deflação como uma coisa ruim e culpam o padrão-ouro que eles trabalharam tanto para destruir por… fazer o dólar valer mais?

Há muito tempo que não aconteciam deflações notáveis ​​do dólar. Por que não? Todas as deflações significativas aconteceram durante um período em que a oferta de dólares americanos estava atrelada à quantidade de ouro: em outras palavras, quando a economia americana estava no padrão-ouro. Sem meios para administrar a oferta de dólares, não havia como evitar flutuações de preço quando a demanda por dinheiro flutuava.

Outra tomada intelectualmente desonesta. A impressão desenfreada de dinheiro do FED é o que faz com que os preços flutuem em primeiro lugar, destruindo sinais de preços precisos.

O Federal Reserve pode evitar a alta inflação?

Eles realmente poderiam, se dessem ao impressor de dinheiro um descanso muito merecido. Não é assim que o FED enquadra, no entanto.

O Bitcoin é semelhante, pois também possui uma quantidade mais ou menos fixa que não pode responder às flutuações na demanda. Assim, seu preço tende a flutuar mais do que o dólar americano, cuja oferta o Federal Reserve pode administrar para evitar alta inflação, deflação e volatilidade da inflação.

Isso é desonestidade intelectual no seu melhor. O autor finalmente diz “volatilidade”, mas a associa com a palavra “inflação”. Além disso, se “o Federal Reserve consegue evitar a inflação alta”, por que ela está em um nível mais alto de todos os tempos? Além disso, por que o FED diz que o Bitcoin “tem uma quantidade mais ou menos fixa”? Haverá apenas 21 milhões de BTC e é isso.

Para encerrar, esta pode ser a pior mentira de todo o artigo:

Para ser claro: o Bitcoin é usado muito pouco para transações de qualquer maneira, talvez por causa dessas repetidas deflações.

Oh sim? Isso é engraçado, porque o Federal Reserve Bank of Cleveland acaba de publicar um artigo chamado “The Lightning Network: Transformando Bitcoin em Dinheiro.”

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno. Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_