Governo chinês considera usar tecnologia blockchain para cobrar impostos e emitir faturas eletrônicas.

Em 2016, o governo chinês revelou que considerou o ledger distribuído em seu plano nacional de informatização. Segundo o site Futurism, desde então o país vem trabalhando na implementação da rede blockchain na vida diária.

Uma das iniciativas mais recentes em relação ao uso de criptomoedas no país foi com a seguradora chinesa, Zhong An, que começou a trabalhar em uma plataforma de blockchain para rastrear o abastecimento de frango no país. O banco central chinês também realizou um teste na blockchain com sua própria criptomoeda.

Leia também: Como comprar e vender Bitcoins no Brasil

De acordo com o governo chinês, eles estavam explorando ativamente a aplicação de um ledger distribuído no “negócio fiscal”. Em um acordo com a empresa Shenzhen Zhanhe Technology Investment Co., o governo empreenderá em pesquisa e desenvolvimento de uma rede blockchain voltada para aplicações fiscais.

O governo chinês declarou:

“[Este] é o primeiro negócio financeiro e de tributação internacional na rede blockchain, que consolidará ainda mais a rede na China e na indústria internacional.”

Esta última iniciativa na China indica como a tecnologia pode ser utilizada em aplicações do dia a dia. Além disso, devido à sua transparência e segurança, a tecnologia blockchain torna-se uma opção viável e atraente quando usada para fins fiscais.

À medida que a China continua a explorar a tecnologia blockchain, haverá mais casos para uma ampla gama de aplicativos. Com componentes de imutabilidade, segurança e transparência importantes na arena digital, a China está entendendo a importância que a blockchain pode ter e parece estar interessada em explorar seu potencial.

Fonte: Cryptocoinsnews