Mineradoras de Bitcoin podem começar a usar energia nuclear no Cazaquistão

Bitcoin poderá ser minerado com energia nuclear, conforme o governo avança em seus debates para sanar problemas de falta de energia

Contra Capa 23

De acordo com o meio de comunicação CryptoNews, o Ministro da Energia, Magzum Mirzagaliyev, disse aos repórteres que dois locais estavam sendo considerados como “locais potenciais” para uma nova usina nuclear, a saber, uma vila chamada Ulken, na região de Alma-Ata e Kurchatov, a cidade no leste do Cazaquistão.

Mirzagaliyev afirmou:

Criamos uma projeção da produção e do consumo de eletricidade do país até 2035. Vemos claramente a necessidade de construir uma usina nuclear para fornecer eletricidade à nossa população e à nossa economia.

Embora o ministro não tenha feito menção direta ao Bitcoin e à mineração de criptomoeda, seus colegas já o fizeram ao falar sobre a expansão da rede devido a interrupções de energia ligadas à mineração. O governo vê este setor como um motor de crescimento, mas como a rede elétrica nacional ainda depende de 70% das usinas movidas a carvão, ele admitiu que a expansão nuclear pode ser o único caminho a seguir.

Este inverno viu uma enorme pressão colocada na rede, levando a queda de energia para muitas mineradoras e milhões de dólares em perdas, tanto para mineradores industriais licenciados quanto para a economia nacional. Algumas mineradoras disseram que seus centros de mineração ficaram sem energia por até um mês.

Vários relatórios estimam que cerca de 88.000 plataformas de mineração foram migradas da fronteira da China para o Cazaquistão, desde a repressão de setembro, aumentando o uso de eletricidade em muitas áreas.

O ministro da Energia advertiu que a proposta da usina nuclear “será capaz de cobrir as necessidades futuras de eletricidade do país”, mas acrescentou que a construção levará até 10 anos para ser concluída.

A relação entre mineração e fornecedores de energia nuclear está começando a se aprofundar, não apenas na Ásia Central, mas também nos Estados Unidos e na Europa. Vários mineradoras nos EUA já começaram a receber energia de reatores nucleares, enquanto na Ucrânia, o fornecedor nacional de energia nuclear tem trabalhado em conjunto com as mineradoras nas maiores usinas nucleares da Europa em uma tentativa de compensar as perdas financeiras.

Em muitos casos, os data centers estão sendo construídos ao lado das usinas nucleares. Alguns deles terão o tamanho de quatro campos de futebol. Outros projetos de mineração americanos também estão em andamento, embora a aprovação federal ainda seja necessária para muitos deles, o que significa que as mineradoras podem ter que esperar até 2023-2025 para uma decisão.

O cenário é muito diferente no antigo país que sediava as mineradoras de Bitcoin: China Continental. Um influente jornal econômico publicou esta semana uma revisão alegando que, a fim de “erradicar completamente” as chances de “sobrevivência das criptomoedas na China”, uma abordagem de “tolerância zero” era necessária para a mineração.

O jornal concluiu:

Quer estejamos falando sobre mineração ou comércio de criptomoedas, não há lugar para eles na China.

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno.Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_