Nicolás Maduro: Pré-venda de Petro arrecadou $5 bilhões de dólares

Atendendo as necessidades do país

De acordo com a fonte de notícias local TeleSUR, o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, disse que a pré-venda do Petro (PTR), criptomoeda financiada por petróleo, arrecadou $5 bilhões de dólares e registrou mais de 186.000 compras certificadas. O anúncio foi feito durante uma reunião com membros do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) em Caracas.

Durante a reunião, Maduro explicou que o dinheiro arrecadado na pré-venda da criptomoeda será usado para “atender a todas as necessidades do país”. De acordo com Maduro, o dinheiro é parte de uma “solução econômica” mais ampla implantada pelo governo venezuelano.

Além disso, Carlos Vargas, o superintendente de criptomoedas do país, revelou que mais de 83 mil indivíduos de 127 países tentaram comprar a criptomoeda. Entre eles, estavam 3.523 empreendedores. Conforme já relatado, o país havia recebido 171.000 pré-registros para a venda do token e Maduro afirmou ter arrecadado $735 milhões de dólares em apenas um dia.

O Petro foi criado como uma maneira de contornar sanções americanas enquanto a Venezuela lida com uma  forte recessão o que tem forçado seus cidadãos a depender de criptomoedas para sobreviver. Apesar de Maduro dar a entender que a pré-venda do Petro tem sido um tremendo sucesso, há pouca ou nenhuma evidência que confirme o fato.

Uma carteira NEM, na qual acredita-se pertencer ao governo venezuelano, ainda deverá distribuir os 100 milhões de Petros solicitados por Maduro. No entanto, Maduro declarou recentemente que o Petro visa melhorar a “soberania monetária,” do país, além de ajudá-lo a “fazer transações financeiras e superar o bloqueio financeiro.”

Leia mais: Mercado recupera $40 bilhões, mas Bitcoin e Ethereum continuam voláteis

Petro envolto em controvérsia

Apesar de Maduro afirmar que o Petro é um avanço, vários legisladores venezuelanos aparentemente não concordam com isso. O congresso venezuelano dirigido pela oposição disse que a venda do Petro é um instrumento “ilegal e inconstitucional” que hipoteca as reservas de petróleo do país. A Assembleia Nacional do país acusou a moeda de fraude e alegou que ela pode ser um investimento de risco.

Por outro lado, a grande empresa chinesa de avaliação de crédito, Dagong, afirmou que o Petro “pode ​​ajudar o sistema monetário global”. Para impulsionar a adoção da moeda, Maduro ordenou que as companhias aéreas do país aceitem o Petro e outras criptomoedas como forma de pagamento para voos.

Apesar da polêmica, a Venezuela deverá leiloar sua criptomoeda para empresas privadas através de sua plataforma de câmbio internacional Dicom. No mês passado, Maduro disse que o Petro Gold – uma criptomoeda financiada por metais preciosos – será lançada “na próxima semana.”

Fonte: CCN.com