O projeto americano de dólar digital para driblar a COVID-19

Uma nova proposta se opõe à abordagem Republicana e defende o projeto de um dólar digital capaz de injetar dinheiro diretamente nas carteiras dos cidadãos.

Os Democratas parecem não gostar dos estímulos econômicos planejados pelo Republicanos, motivo pelo qual Nancy Pelosi, porta-voz da câmara de deputados, propôs o projeto de implementação de um dólar digital.

Nancy Pelosi
Nancy Pelosi

Como alternativa ao resgate de empresas por meio de alocações financeiras feitas com colaboração do FED, os Democratas sugerem adotar uma política mais próxima ao princípio do Dinheiro de Helicóptero de Milton Friedman.

Em 2016 existiram conversas sobre uma FEDCoin em referência às propostas do Banco Central Americano para introduzir um dólar digital, porém tudo tem estado bem quieto até o momento.

A situação está tentadora agora, com a chance de uma alocação do FED sob o slogan de “estímulos em pagamentos diretos para as famílias”.

A proposta envolve fornecer 2.000 dólares para cada cidadão que ganhe menos de 75.000 dólares por ano. Os pagamentos só serão efetuados enquanto o país não consiga sair da crise econômica que está afetando todo o mundo como resultado do Coronavírus.

A proposta dos Republicanos vem sendo criticada pelo foco em salvar grandes negócios, enquanto os Democratas estão priorizando agora as finanças de cidadãos comuns com a ideia do dólar digital.

O documento é enorme: ele conta com mais de mil páginas descrevendo a ideia que visa distribuir até 1.8 trilhão de dólares.

Covid-19 como Cavalo de Troia

A COVID-19 torna-se, assim, um Cavalo de Troia: um fluxo de dinheiro capaz de permitir que as pessoas entrem em um novo sistema monetário digitalizado.

A sociedade cashless está emergindo e o início do fim do dinheiro vivo parece ter começado.

A onda de choque no mundo das blockchains públicas será poderosa, uma vez que esses tipo de iniciativa tem forte repercussão na categoria que se coloca como uma alternativa ao controle centralizado de dinheiro eletrônico. Tanto o Bitcoin como o Ethereum poderiam atrair os holofotes para si, no caso de a iniciativa democrata passar.

A proposta também destaca um ponto que não deveria ser subestimado: o direito para receber a contribuição passará por identificação física ou digital.

A ajuda também é focada naqueles que não tem quaisquer documentos de identidade ou acesso ao sistema bancário, um mecanismo que melhore a situação atual dos cidadãos americanos que mais estão em risco atualmente: imigrantes ilegais, extremamente pobres ou sem-teto.

Essa é uma boa maneira de aumentar tanto controle como rastreabilidade dos pagamentos, hábitos e atividades dos cidadãos americanos. Nem mesmo George Orwell teria pensado nisso mas, quando se trata de saúde, até as medidas mais perigosas para a liberdade do povo devem passar.

O modelo a ser implementado ainda não está claro, porém é evidente que a blockchain, de uma forma ou de outra, certamente será utilizada.

Fonte: Cryptonomist