Paquistão proíbe bancos de negociar criptomoedas e ICOs

Paquistão proíbe a negociação de criptomoedas e ICOs

O banco central do Paquistão emitiu uma declaração que proíbe as empresas financeiras do país de trabalhar com empresas de criptomoedas, tornando-se a mais recente instituição de seu tipo a proibir a atividade.

Em um comunicado postado em sua página (e compartilhada através de redes sociais), o banco do Estado do Paquistão (SBP) disse:

“…todos os bancos, instituições financeiras, bancos de microfinanciamento e operadores de sistemas de pagamento (PSOs) ou provedores de serviços de pagamento (PSPs) foram instruídos a não processar, utilizar, negociar, possuir, transferir, promover e investir em moedas virtuais/tokens. Além disso, essas instituições não facilitarão para que seus clientes/titulares façam transações com criptomoedas ou tokens de ICO. Qualquer transação deste tipo será imediatamente comunicada para a unidade de monitoramento financeiro (FMU) e encarada como uma transação suspeita.”

O banco central não respondeu a um pedido de comentário da imprensa. Mas, até o momento da publicação, o anúncio já estava causando um impacto no mercado local de criptomoedas.

Leia mais: 14% dos jovens profissionais japoneses possuem criptomoedas

Exchange paquistanesa fecha suas portas

A Urdubit, uma exchange de criptomoedas que foi lançada em 2014 com o objetivo de construir uma base de apoio na região, disse após o anúncio do governo que fechará suas portas. A Urdubit foi a primeira exchange de bitcoins a abrir suas portas no país.

A decisão foi anunciada através do Facebook, com o aviso para que seus clientes “retirem seus fundos o mais rápido possível”.

A postagem no Facebook da Urdubit incluía um link com uma correspondência do banco central, no qual incluía o aviso sobre transações estarem sendo rotuladas como transações suspeitas.

Ao ser entrevistado, Rodrigo Souza, o cofundador da BlinkTrade (responsável por fornecer o software de código aberto que a Urdubit estava usando) argumentou que a decisão do banco central foi feita com o objetivo de impedir os investimentos de criptomoedas.

“Os governos e os bancos vão combater o Bitcoin porque investir em Bitcoins significa que há um banco tomando o lugar do banco central”, disse ele, acrescentando:

“Estamos trabalhando duro para devolver todos as PKRs (Rúpia paquistanesa) a todos os nossos clientes antes que nosso banco feche nossas contas.”

A decisão surgiu um dia após o banco central da Índia impedir bancos de fazer negócios com exchanges de criptomoedas. No entanto, as exchanges indianas pretendem disputar a decisão no tribunal, algo que poderá chegar ao tribunal mais alto da Índia.

Fonte: Coindesk.com