Senado dos EUA aprova controversa lei que suprime a privacidade na web dos seus cidadãos

As regras originais expiraram em março

O Senado dos Estados Unidos votou para reautorizar a Lei da Liberdade dos EUA, aproximando o projeto de lei de vigilância. A Lei de Reautorização da Liberdade dos EUA restaura os poderes do governo que expiraram em março com a Seção 215 da Lei do Patriota. Embora o Senado tenha adotado uma emenda para expandir a supervisão, ele rejeitou uma proposta que restringiria a coleta de pesquisa e dados de navegação na Web.

A Lei de Reautorização da Liberdade dos EUA permite que a polícia colete “coisas tangíveis” relacionadas a investigações de segurança nacional sem um mandado, exigindo apenas a aprovação de um tribunal secreto que supostamente carimbou muitos pedidos. Foi aprovada na Câmara dos Deputados no início deste ano, mas foi paralisada no Senado durante o início da pandemia de coronavírus.

Hoje, os senadores o aprovaram com 80 votos a favor e 16 votos contra, de acordo com o The Hill. A Câmara dos Deputados precisará aprovar a versão alterada do projeto antes de enviá-lo para a mesa do presidente.

A Lei da Liberdade dos EUA foi projetada para reformar a Lei do Patriota e limitar a coleta de registros telefônicos em larga escala, após vazamentos do ex-funcionário da NSA, Edward Snowden, em 2013. Entretanto, os críticos da vigilância queriam estender seus limites na versão autorizada.

Os Senadores. Mike Lee (R-UT) e Patrick Leahy (D-VT) aprovaram com êxito uma emenda que ampliava o papel de consultores independentes no tribunal da Lei de Vigilância de Inteligência Estrangeira (FISA).

Por outro lado, os senadores Ron Wyden (D-OR) e Steve Daines (R-MT) falharam por um voto em aprovar uma regra que proíbe a vigilância sem autorização dos registros de pesquisa e navegação na Internet. Wyden finalmente votou contra a reautorização.

“A legislação confere ao poder do governo a coleta ilimitada de pesquisas na Internet e navegação na Web dos americanos, bem como outras informações privadas, sem ter que demonstrar que esses americanos fizeram algo errado”, disse ele em comunicado.

“Sem uma reforma adicional dessas autoridades vagas e perigosas da Lei do Patriota, o Congresso está convidando mais interpretações secretas da lei e mais abusos”.

Fonte: The Verge

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.