Web 3.0 é realmente segura?

Toda mudança gera desconforto, principalmente quando não se sabe quase nada do que está acontencendo

Web 3.0 é realmente segura?

Afinal, a Web 3.0 é segura? Quem já ouviu falar mas nunca pesquisou fica com essa pergunta na cabeça, na verdade a maioria das pessoas estão com essa dúvida. E essa dúvida é normal. Mas há coisas positivas sobre a Web 3. Vamos juntos nesse artigo perceber como uma Internet descentralizada aumentará a privacidade.

Em 4 de outubro de 2021, três aplicativos importantes que eram mais usados ​​no mundo pararam de funcionar ao mesmo tempo. Quando o Instagram, o Whatsapp e o Facebook caíram, praticamente o mundo virtual parou. E antes disso, houve boatos de que o Facebook vazou dados de milhões de pessoas. Imagina você que confiou seus dados a uma empresa descobri que qualquer um pode ter esses dados!

São situações problemáticas que pedem algumas respostas urgentes. Como você pode proteger seus dados da acessibilidade dessas empresas? Como podemos evitar que canais importantes apaguem quando precisamos deles? Essas eram as perguntas que precisavam de soluções críticas, e agora parece que há uma resposta com a internet descentralizada.

Webs

A Web 1 são páginas estáticas que mostram itens como coisas em uma garrafa de vidro. O popular “somente leitura“. Você só pode vê-lo e admirá-lo.

A Web 2 é mais interativa, ao contrário da Web 1. Você pode fazer coisas mesmo que não saiba programação ou desenvolvimento web. Por exemplo, você pode curtir, compartilhar, comentar com páginas na Web 2.

Os maiores e mais usados ​​aplicativos ou plataformas Web 2 estão praticamente nas mãos de gigantes como Facebook, Amazon, Netflix, Google. Eles têm controle dos dados de muitos usuários. Você precisa concordar com os termos, o que geralmente inclui dar a eles acesso aos seus dados.

É por isso que o Facebook e outras plataformas obtêm muitos dados sobre suas atividades diárias. Como resultado, eles sabem muito sobre você. Cada pequena coisa que você compartilha na internet, desde as mensagens que você comunica até as consultas de pesquisa e sua localização, está sendo acessada e avaliada para um propósito específico. Comumente, eles usam os dados para melhorar suas plataformas ou mostrar anúncios que lhe interessam, etc.

Ultimamente, descobrimos que eles poderiam fazer mais com os dados, como vendê-los. Mas, para ser honesto, nem todo mundo quer que uma organização tenha todas as informações sobre sua vida.

O que é Web 3?

A Web 3 ainda está nos estágios iniciais e o desenvolvimento está em andamento. A maioria das pessoas estão esperando o momento em que cada ideia se tornará uma realidade completa. Mas há ideias centrais que ele abordaria.

Os dados do usuário não serão tratados por uma ou apenas algumas organizações, assim como o governo não pode censurar conteúdo e teremos mais controle da situação. Em outras palavras, se uma organização ou plataforma falhar, ainda podemos recuperar a maioria, se não todos, de nossos dados porque eles foram descentralizados.

Lembre-se

Na web 2, seus dados estão com algumas organizações como Twitter ou Instagram. Você fornece seus detalhes antes de poder usar os canais. Eles continuarão recebendo mais informações sobre você e tudo o que você faz na plataforma deles à medida que você continua usando.

Na web 3, seus dados estão sendo distribuídos em vários lugares ao mesmo tempo. Chamamos isso de validadores. Cada validador faz parte de uma blockchain e existem milhares, até milhões deles. Nenhuma pessoa em particular conhece a outra ou onde ela está localizada. Ninguém está mantendo suas informações em um único banco de dados, mas os dados são armazenados em muitos computadores, muitos deles em todo o mundo.

Segurança

A ideia é baseada nas mesmas finanças descentralizadas jogadas em criptomoeda. Aqui estão as maneiras pelas quais ela pode proteger nossa privacidade:

Seus dados não podem ser acessados ​​facilmente: se uma pessoa deseja acessar todos os seus dados e controlar ou censurar o que você faz na web 3, ela precisa acessar mil computadores para dominar a rede blockchain em questão. A melhor parte é que é impossível ter acesso a todos eles ou saber onde estão localizados.

Mudanças ou vazamentos podem ser rastreados: um desses milhares de validadores não pode se comportar de forma errada ou alterar por conta própria a rede. Todos os outros milhares são notificadas sobre o que está acontecendo. Colocando a prática de fraude para “escanteio“.

Os ataques na Internet tornam-se mais difíceis: já tivemos situações em que um simples ataque a uma internet centralizada pode levar a um apagão total. Mas no caso da web 3, todos os milhares de computadores usados ​​para descentralizar a internet precisariam parar simultaneamente.

Nada muda quando você compartilha: como ninguém tem controle sobre o que você compartilha ou como você compartilha, você preserva a originalidade de suas coisas. O conteúdo compartilhado será puro e não diluído, como o criador original pretendia.

Nem tudo são flores

A Web 3 tem suas desvantagens. Como o governo ou a organização empresarial raramente controla o que é feito, todo o conteúdo pode ser compartilhado facilmente com o cidadão comum, seja ele aceitável ou indesejado. Adolescentes ou adultos podem ser expostos à criação maliciosa. Além disso, não será fácil controlar ou rastrear como eles são transferidos de um lugar para outro.

De fato ainda estamos numa fase muito inicial de todo o processo. Tudo isso está apenas começando a se expandir, ainda está no início da construção. Mas podemos perceber grandes avanços em pouco tempo. Em 2021 já vimos um impulso enorme com os NFTs e Metaverso, que nada mais é que a Web 3.0 mostrando as caras.

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8