Afinal de contas, a Libra vai ser lançada?

Oposição é forte na Europa e nos Estados Unidos

Atacada de todos os lados possíveis e imagináveis, especialistas cripto e de finanças de todo o mundo apontam as sérias dificuldades que a Libra ainda tem pela frente para poder ser lançada. O caminho não parece fácil, principalmente no que envolve os governos europeus.  No início de setembro, Yves Mersch, membro do conselho executivo do Banco Central Europeu (BCE), mostrou-se fortemente contrário ao lançamento da libra.

“A Libra pode reduzir o controle do BCE sobre o euro, prejudicar o mecanismo de transmissão da política monetária, afetando a posição de liquidez dos bancos da área do euro e minar o papel internacional da moeda única” – disse ele.

Em meados de setembro apontamos que também a França não via com bons olhos o futuro da Libra. Um exemplo disso é que Bruno Le Maire, Ministro das Finanças da França, é da opinião de que Libra afetará adversamente a soberania econômica dos países da União Europeia (UE).

Outra importante figura do cenário econômico europeu que se posicionou contra a Libra foi Mark Branson, chefe da Autoridade de Supervisão do Mercado Financeiro da Suíça (FINMA). Para ele:

“Um projeto dessa dimensão global pode ser abordado apenas por meio de coordenação e consulta internacional com outros supervisores e reguladores. É ilusório acreditar que um único país possa regular e supervisionar um projeto como a Libra por conta própria. A supervisão dos (grandes bancos suíços) UBS (UBSG.S) ou Credit Suisse (CSGN.S) também não ocorrem em isolamento completo.”

Nos Estados Unidos a situação não é muito diferente. A oposição à moeda é forte, com a maioria dos congressistas americanos pedindo que o projeto do Facebook seja investigado. O Secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steve Mnuchin disse que o projeto levanta preocupações significativas em relação à política monetária e ao financiamento internacional.

Ele se referiu às preocupações de facilitação do financiamento do terrorismo, lavagem de dinheiro e tráfico de seres humanos e drogas como uma questão de segurança nacional além de todos os escândalos de privacidade dos quais o Facebook fez parte. Você pode conferir a matéria completa em que abordamos esse tema clicando aqui.

Em julho desse ano, o congressista Brad Sherman chegou a comparar a Libra com os ataques de 11 de setembro.  Pelo que parece é bem difícil a agradar a todos, e a Libra certamente não parece avançar em uma direção positiva nesse sentido. Mas, mesmo não agradando, ela conseguirá ser lançada?

David Marcus: a “opinião” de quem entende da Libra

Polêmica desde o momento de sua concepção, a criptomoeda do Facebook não sai da cabeça, tantos dos órgãos reguladores, quanto dos cripto entusiastas que se dividem entre críticos e apoiadores da criptomoeda. Mas afinal de contas, a Libra vai realmente ser lançada? David Marcus, co-criador e executivo responsável pela Libra afirma que sim, mesmo em meio à toda turbulência que atinge a moeda do Facebook.

Antes de mais nada, é interessante ter em conta que Marcus não é qualquer pessoa dentro do universo das finanças e dos negócios. Ex-presidente do Paypal e da unidade Messenger do Facebook, David Marcus é a figura forte da Libra em 2019, além de ser sido nomeado para o Conselho de Administração da Coinbase. É improvável que uma alguém com esse perfil não passe confiança quando se junta à um projeto.

“O objetivo ainda é lançar a Libra no próximo ano. Até lá, precisaremos abordar todas as perguntas adequadamente e criar um ambiente regulatório adequado”, disse Marcus ao jornal suiço o jornal suíço NZZ.

Preocupados com o possível fracasso da Libra, muitos internautas questionaram David Marcus sobre os problemas enfrentados pela criptomoeda mesmo antes de ser lançada, além do embate enfrentado por ela relacionado ao bancos centrais. Marcus por sua vez fez uma sequência de tweets explicando pontos importantes sobre o tema e dando um posicionamento pessoal no final do argumento:

1 / Sobre a soberania monetária das Nações vs. Libra:

 

2 / Recentemente, tem havido muita conversa sobre como Libra poderia ameaçar a soberania das nações quando se trata de dinheiro. Eu queria aproveitar a oportunidade para desmascarar essa noção.

 

3 / A Libra foi projetada para ser uma melhor rede e sistema de pagamento, funcionando com base nas moedas existentes e oferecendo valor significativo aos consumidores em todo o mundo.

 

4 / A Libra será apoiada em 1: 1 por uma cesta de moedas fortes. Isso significa que, para que qualquer unidade da Libra exista, deve haver um valor equivalente em sua reserva.

 

5 / Como tal, não há criação de dinheiro novo, que permanecerá estritamente pertencente às nações soberanas.

 

6 / Acreditamos também que uma forte supervisão regulatória impeça que a Associação Libra se desvie de seu compromisso total de apoio em 1: 1.

 

7 / Continuaremos a nos envolver com bancos centrais, reguladores e legisladores para garantir que abordemos suas preocupações através do design e operações da Libra.

 

8 / Separadamente, estou ansioso para que a Associação Libra assuma a liderança total do projeto logo após a sua constituição ter sido ratificada, para que eu possa me concentrar na construção @calibra

Faltam poucos meses para o possível lançamento da Libra. Até lá, seguimos acompanhando os desdobramentos e decisões que majoritariamente afetam negativamente a moeda do Facebook.

*Imagem de: Gerd Altmann por Pixabay

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.