Ex-agente da NSA utiliza Bitcoin em projeto de hack nos Emirados Árabes Unidos

A moeda foi utilizada para promover de ataques cibernéticos

Ao longo dos anos, grandes nomes do mundo das finanças tentaram minimizar o Bitcoin e demais criptomoedas, levantando o fato de que criminosos cibernéticos faziam uso dos ativos, prova da ilegitimidade do setor.

Entretanto,alguns apontam que o Bitcoin pode começar a desempenhar um importante papel em operações secretas do governo. De modo específico, há rumores de que ex-agentes da NSA (Agência de Segurança Nacional dos EUA) utilizaram a moeda em uma operação de hack.

Aparentemente uma mulher chamada Lori Stroud, ex-analista de inteligência da agência, se uniu ao Projeto Raven duas semanas após deixar o cargo. À partir do projeto, hackers monitoravam comunicações e atividades para garantir que os Emirados Árabes Unidos estivessem a salvo do terrorismo.

Os participantes utilizaram táticas da NSA e tecnologia de ponta para monitorar vários indivíduos, o que foi possível pois ex-agentes da agência não são proibidos de utilizar as técnicas e conhecimentos adquiridos durante o período de trabalho, mesmo em países diferentes.

Aparentemente o projeto utilizou Bitcoin combinado a identidades falsas para alugar servidores de forma anônima, dos quais seriam lançados ataques cibernéticos. A iniciativa promoveu o hack de diversos smartphones de nomes “importantes”, desde ativistas até líderes políticos.

Atualmente Stroud reside nos EUA em um local não divulgado.

A história foi divulgada recentemente pela Reuters, que tentou contato com a NSA, Apple, Ministério das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos e muito mais, mas todos se recusaram a comentar o caso.

FONTE: CRYPTO COIN SPY

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli