Parece piada: Negocie Coins envia mensagem felicitando cliente por aniversário

Mensagem da Negocie Coins soa quase como provocação, lembrando o cliente da dívida da empresa

Embora o envio de mensagens em datas comemorativas seja algo comum (e automatizado), não torna menos bizarro que o emissor seja uma exchange insolvente. Sem pagar os clientes há mais de 6 meses, a Negocie Coins Pro, do Grupo Bitcoin Banco, segue com saques atrasados e total falta de transparência.

Com centenas de processos judiciais movidos contra o grupo, a esperança dos clientes em receber o que lhes é devido parece já ter se tornado uma desilusão.

O mínimo do mínimo que poderia ser feito (já que pagar os clientes não aparenta ser um possibilidade) seria ter respeito, comunicando apenas o essencial, sem lembrar o consumidor com um “Feliz Aniversário” de sua triste decisão de colocar seu suado dinheiro em uma exchange do Grupo Bitcoin Banco.

Relembre o caso envolvendo o Grupo Bitcoin Banco

Buscando ressarcimentos de seus investimentos retidos junto ao Grupo, clientes das exchanges do Grupo Bitcoin Banco tem organizado manifestações mensalmente contra Cláudio e o GBB. Havia inclusive um protesto marcado para o dia 16 de setembro que, contudo, acabou não ocorrendo.

Todo o problema envolvendo a empresa teve início quando os processos de arbitragem nas exchanges integrantes do Grupo Bitcoin Banco começaram a apresentar falhas e travar os pagamentos.

Em protesto contra a situação vivida, cerca de um mês atrás, em agosto, outra manifestação havia sido convocada na sede do GBB. Promessas de pagamento foram feitas, mas muito pouco se viu na prática para resolver o problema.

As semanas seguintes foram marcadas pela suspensão dos serviços da Negocie Coins e da TemBTC, ambas pertencentes ao Bitcoin Banco, além da ordem de busca e apreensão emitida pelo juiz Victor Schmidt Figueira dos Santos, da 6ª Vara Cível de Curitiba (PR) no valor de R$ 63.759.750,22. Pouco tempo antes Claudio Oliveira teve seus bens bloqueados por ordem da justiça.

Na primeira semana de novembro a crise envolvendo o Grupo Bitcoin Banco ganhou mais um capítulo: o advogado Edson Insfer entrou com pedido de recuperação judicial da Bitcurrency Moedas Digitais, conhecida como Bitcoin Banco, e outras sete empresas também ligadas a Cláudio Oliveira.

Para os advogados que já haviam pedido a falência do grupo, a recuperação judicial do Bitcoin Banco acende o alerta vermelho: caso seja aceita pela Justiça, a petição poderá fazer com que as dívidas sejam congeladas, reorganizadas e parceladas. Sendo assim, os credores temem não ver a cor do dinheiro tão cedo.

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.