Bitcoin em alta após o primeiro corte de juros desde 2008

Após o anúncio do Banco Central dos Estados Unidos, o Bitcoin subiu mais de 6% desde quarta.

O Bitcoin (BTC) obteve ganhos interessantes em meio ao anúncio do primeiro corte de taxa em mais de uma década pelo Fed (Banco Central dos Estados Unidos).

A principal criptomoeda por valor de mercado está sendo negociada durante a redação dessa matéria a U$ 10.480 no Bitstamp, representando um ganho de mais de 6% em desde o anúncio de 31 de julho.

O Fed disse na quarta-feira que reduzirá as taxas de juros em 0,25% para amortecer a economia de uma desaceleração global e das tensões comerciais. Esse foi o primeiro corte de juros dos EUA desde a grande crise financeira de 2008 e, de fato, desde a criação do bitcoin em 2009.

O BTC subiu mais de U$ 200 para U$ 10.000 nas três horas que antecederam o anúncio do Fed às 18:00h UTC. Mais importante ainda, a criptomoeda permaneceu em oferta nas horas seguintes e atingiu uma alta de U$ 10.172, de acordo com os dados da Bitstamp.

A ação do preço parece ter convencido os investidores de que o bitcoin é uma boa aposta devido o corte na taxa do Fed.

Boom para o bitcoin?

Alguns observadores acreditam que os cortes nas taxas pelo Fed são um bom sinal para o BTC.

Isso ocorre porque um corte na taxa de juros reduz o rendimento de uma moeda. Além disso, a liquidez adicionada à economia por meio de cortes na taxa geralmente leva à inflação e perda do poder de compra da moeda.

Simplificando, as taxas de juros decrescentes significam menos razões para manter dólares americanos, conforme apontado por Alan Silbert, diretor executivo da INX Trading Platform.

“Taxa de juros mais baixa e mais cortes chegando. Menor taxa = menos razões para manter dólares. Compre #bitcoin”, postou Silbert em sua conta do Twitter.

Silbert acredita que o Fed entregará mais cortes de juros no futuro próximo. O banco central, no entanto, se absteve de sinalizar mais flexibilização ontem.

O Fed cortou as taxas a menos de 12 meses do bitcoin’s mining reward halving – um processo que visa reduzir a inflação reduzindo a recompensa pela mineração no blockchain em 50% a cada quatro anos.

Essencialmente, a política monetária do bitcoin está em um caminho pré-definido – seu suprimento é reduzido a metade a cada quatro anos.

A divergência na política monetária aumentaria ainda mais se o Fed embarcasse em um ciclo de flexibilização total, conforme previsto por Silbert. Isso fortaleceria ainda mais o apelo do bitcoin como reserva de valor e poderia reforçar o mercado em alta.

Nesse momento o bitcoin encontra-se testando a resistência chave em US $ 10.500.

Gráfico de 4 horas

BTC subiu acima de US $ 10.000 ontem, validando o esgotamento vendedor sinalizado pelo doji de cauda longa criado no gráfico de 4 horas em 28 de julho.

Essa reversão de doji de alta indica que o sell-off de altas recentes acima de U$ 13.000 terminou e o caminho de menor resistência é para o lado mais alto. A fuga do triângulo descendente confirmada ontem também indica uma reversão de alta.

Notavelmente, o volume de compra aumentou após a quebra do preço. A barra de volume verde criada nas quatro horas antes das 16:00h UTC de ontem foi a maior desde 19 de julho.

Assim, o bitcoin chegou a ultrapassar a marca de U$ 10.500 (média móvel de 50 dias) durante a madrugada, de modo que agora luta para se manter acima dela. No entanto, a perspectiva conforme o gráfico diário se tornaria otimista apenas se e quando o BTC invalidar o padrão baixista de topo duplo com um movimento acima de U$ 11.120.

A possibilidade de um aumento para a MA de 50 dias nas próximas 24 horas enfraqueceria se os preços encontrarem aceitação abaixo do fundo de ontem em U$ 9.574, embora isso pareça improvável.

Fonte: coindesk

*Adaptado para incluir valores atualizados.

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.