Pesquisa da Universidade de Cambridge aponta grande problema que está travando a adoção em massa das criptomoedas

Relatório encontra o obstáculo que impede a popularização do setor

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Centro de Finanças Alternativas da Universidade de Cambridge (CCAF), a lacuna de “linguagem comum” é o grande obstáculo que impede a adoção em massa das criptomoedas e também é a razão por trás da incerteza regulatória que cerca este ecossistema.

O CCAF destaca que o problema é um “vocabulário padrão” – o instituto solicitou a definição de “Criptoativo e Token” de uma maneira específica à frente das políticas regulatórias do setor. De acordo com a pesquisa, há uma variedade de termos utilizados, assim como a falta de definições claras.

“Até mesmo no termo criptoativo falta uma definição específica (…) criptoativo e token podem ter diferentes significados dependendo do contexto em que são utilizados.”

Em seguida o relatório destaca que os reguladores estão enfrentando diversos desafios. O primeiro é entender as nuances dos diversos termos, o segundo é saber o que melhor se ajusta para um objetivo regulatório particular, e finalmente “identificar o termo/estrutura/terminologia de um modo claro e utilizá-lo em todas as declarações oficiais”.

As definições do setor devem ser refinadas

O relatório também categorizou cripto tokens em três aspectos: tokens de pagamento, troca ou criptomoedas; security tokens; e utility tokens.

Na primeira categoria, criptomoedas são um meio de valor de troca; na segunda, security tokens são classificados como instrumentos de investimento; e na terceira, utility tokens são referidos como um “acesso a uma plataforma digital ou serviço”.

Além das categorias apresentadas, o documento também destaca a definição de criptoativos. O estudo aponta a definição como a propriedade e exercício dos direitos de propriedade de criptoativos. Tal propriedade concede ao indivíduo a autorização para acessar e permitir o armazenamento de chaves privadas em endereços de carteiras de cripto.

O relatório cita ainda que 82% de 23 jurisdições distinguiram criptoativos com as moedas, que são criadas com a característica de títulos. Analisando tais definições, categorias e estruturas que recentemente foram definidas por algumas jurisdições, o CCAF afirma que todas “essas estruturas básicas precisam ser refinadas”.

Anteriormente o WeBitcoin noticiou que Brian Armstrong, CEO da Coinbase, apontou três pontos chave para que o setor atinja adoção em massa. De acordo com ele, o mercado precisa controlar o nível de volatilidade e expandir usabilidade e escalabilidade para ser mais aceito pela população.

FONTE: TODAY’S GAZETTE

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli